Coimbra  21 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Festival das Artes com 24 eventos sobre “Amores e Desamores”

21 de Junho 2018

Celeste Amaro, Manuel Machado, Miguel Júdice, Cristina Castel-Branco e Carina Gomes

 

O Festival das Artes, em Coimbra, de 13 a 22 de Julho, apresenta, nesta décima edição, o tema “Amores e Desamores”, com inspiração na história de Pedro e Inês, e oferece 24 eventos culturais distribuídos por sete ciclos.

Ciclo das Artes do Palco, das Artes Plásticas, do Cinema, das Conferências, da Gastronomia, da Música e do Serviço Educativo são as propostas do Festival das Artes, que dá preferência, nesta edição, às artes e artistas portugueses.

Apresentado hoje, em conferência de Imprensa, na Quinta das Lágrimas, esta 10.ª edição do Festival das Artes é para o seu director, Miguel Júdice, “um sinal de capacidade de resiliência, de resistência e de permanência”.

“’Amores e Desamores’ é um tema querido à cidade, com Pedro e Inês”, referiu Miguel Júdice, assinalando que este Festival vai ter mais presença feminina e uma maior participação de artistas conimbricenses, que aqui residam ou trabalham noutros ponto do país ou no estrangeiro.

Para a directora regional de Cultura do Centro, Celeste Amaro, “é bom que os conimbricenses participem neste Festival, onde vão haver concertos com três orquestras fantásticas” e um bailado que lhe suscita todo o interesse em ir ver.

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Manuel Machado, assinalou que este é um “projecto partilhado e um Festival ímpar que promove o sentimento de pertença à cidade, mas é dirigido ao país e ao mundo”.

Segundo Cristina Castel-Branco, presidente da Fundação Pedro e Inês, organizadora do Festival, com o apoio de mecenas e do Município de Coimbra, esta é a iniciativa cultural do género mais “barata” do país, com um orçamento de 120 000 euros.

O Festival das Artes arranca no dia 13 de Julho, às 18h00, na Sala de São Pedro da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (BGUC), com a abertura da exposição iconográfica e bibliográfica “Tu, só tu, puro Amor”, visões camonianas de Inês de Castro, um projecto da Equipa do Livro Antigo da BGUC e que assinala o Ciclo das Artes Plásticas.

O Ciclo da Música, no mesmo dia, oferece o concerto “Amor Fatal”, pela Orquestra Filarmónica Portuguesa e Yang Liu, no violino, e Osvaldo Ferreira, como maestro, no Convento São Francisco.

No Ciclo da Música, haverá ainda espectáculos do agrupamento Sete Lágrimas, de Filipe Faria e Sérgio Peixoto, da Orquestra Clássica do Centro, com Lara Martins, soprano, e Andrew Swinnerton, maestro, e ainda do pianista Geoffroy Couteau.

Ainda neste ciclo, haverá “Desamor e Drama”, pela soprano Sandra Medeiros e pelo pianista Francisco Sassetti, o fado de Beatriz em “Amor à primeira vista”, o de Joana Rodrigues Trio, com “met AMOR foses”, e a Orquestra Metropolitana de Lisboa, com “Amor e Saudade”, por Inês Costa (piano), sob a direção do maestro titular, Pedro Amaral.

O serviço educativo serve, por exemplo, uma “Viagem Literária – Antero de Quental, entre Coimbra e Bussaco”, mas também “Quem te ensinou a voar?”, uma animação multidisciplinar para a infância pela Camaleao, com concepção, direcção e animação de José Geraldo e Cláudia Vale.

No Ciclo das Artes Plásticas, haverá também espaço para “Virgem da Ternura – O amor materno do Oriente a Ocidente”, num percurso comentado por Eduardo Sá, no Museu Nacional de Machado de Castro, nas Conferências do Congresso do Amor e Desamor, na Quinta das Lágrimas, com António Carlos Cortez e Carlos Fiolhais e outros participantes, e nas Artes do Palco, com o bailado em um acto “Murmúrios de Pedro e Inês”, com Solange Melo e Fernando Duarte, numa coreografia de Fernando Duarte, com música de Bernardo Sassetti e Fernando Lopes-Graça, e texto de Afonso Cruz.

As Artes Plásticas incluem a exposição “Os quadros também se namoram”, com “Amores e Desamores na Obra de Graça Morais”, a partir da Colecção Privada Paço d’Arcos.

Na Gastronomia, “Amor às Lágrimas” reúne quatro “4 Chefs – 4 Momentos”, com Bruno Antunes, Tiago Bonito, Dionísio Ferreira e Vitor Dias.

No Cinema, a sugestão é um ‘Drive In’ no parque de estacionamento do Teatrão, com “West Side Story/Amor Sem Barreiras”, o filme dirigido por Jerome Robbins e Robert Wise, em 1962, a partir do musical de Leonard Bernstein, compositor de quem este ano se assinalam os 100 anos do nascimento.

Informações sobre a programação e outras iniciativas estão disponíveis em www.festivaldasartes.com.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com