Coimbra  24 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Ex-bancária punida com pena suspensa

3 de Maio 2018 Jornal Campeão: Coimbra: Ex-bancária punida com pena suspensa

Uma ex-bancária, residente em Coimbra, foi condenada, hoje, a cinco anos de cadeia e houve lugar a suspensão da execução da pena.

L. Maria, 61 anos de idade, despedida, em 2013, pelo Millennium/BCP, ao abrigo de processo disciplinar, estava acusada, pelo Ministério Público, por se ter apropriado de 170 000 euros pertencentes a clientes do banco.

Pode haver lugar à suspensão da execução de uma pena de prisão se ela não exceder cinco anos, caso o Tribunal entenda que a medida é susceptível de ser encarada pelo(a) arguido(a) como uma advertência capaz de lhe fazer arrepiar caminho.

À arguida foi deduzida acusação de burla qualificada, falsificação de documento, branqueamento de capitais e falsidade informática, mas a condenação não abrange o primeiro dos crimes na medida em que o banco ressarciu os clientes.

Embora houvesse sido apresentado pelo Millennium/BCP um pedido de indemnização, o Tribunal não condenou a arguida no plano cível, porquanto a pretensão do banco tem de ser equacionada no âmbito de um processo de insolvência de L. Maria em que ele é credor.

A presidente de um colectivo de juízes disse que o Tribunal acreditou no arrependimento da ex-bancária e exortou-a a não voltar a prevaricar.

“Fez bem” [L. Maria] ao confessar a autoria dos crimes, indicou a juíza, fazendo notar que sem manifestação de arrependimento inexistia atenuante para a arguida poder desfrutar de suspensão da execução da pena.