Coimbra  8 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Escola de Enfermagem lidera projecto internacional com intervenção na Ásia

8 de Fevereiro 2021 Jornal Campeão: Coimbra: Escola de Enfermagem lidera projecto internacional com intervenção na Ásia

A Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, ESEnFC, está a coordenar um projecto internacional que passa por aperfeiçoar as competências dos estudantes de enfermagem de instituições de ensino superior asiáticas.

A iniciativa, que é apoiada por fundos da União Europeia, do programa Erasmus +, passa por aprimorar um maior ensinamento a estudantes da área no Cambodja e do Vietname, no que toca a matéria de prevenção e controlo de infecções associadas aos cuidados de saúde (IACS), e no combate à resistência antimicrobiana.

Um dos propósitos deste projecto, que tem um período de duração de três anos, consiste em “acrescentar valor nos currículos dos cursos de enfermagem e de saúde nas universidades asiáticas (licenciaturas e mestrados), através do incremento de métodos educacionais inovadores, desenvolvendo materiais pedagógicos específicos para a área da prevenção e controlo de infecções”, refere o professor da ESEnfC, João Graveto.

A iniciativa vai contar com a criação de um modelo pedagógico, de cenários de simulação, de uma escala validada para avaliar a percepção dos estudantes no que respeita ao ensino-aprendizagem neste âmbito temático, um livro electrónico, um website interactivo e ainda diversa produção científica.

João Graveto acredita que existirá um activo envolvimento por parte de toda a comunidade educativa, visto que o projecto se insere em países cuja “incidência de IACS, ou infecções adquiridas em instituições de saúde, é expressivamente maior”.

A ter em atenção está também a resistência antimicrobiana que é uma ameaça à saúde da população mundial. Segundo a Organização Mundial da Saúde, se não houver uma rápida intervenção, este problema poderá causar “até 10 milhões de mortes por ano”.

O projecto conta com um financiamento de cerca de 905 mil euros e tem como equipa coordenadora João Graveto, Pedro Parreira, Anabela Salgueiro Oliveira, Lurdes Lomba, Paulo Santos-Costa e Beatriz Serambeque.