Coimbra  15 de Julho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra é uma excepção no aumento de rendas de casa

2 de Julho 2024 Jornal Campeão: Coimbra é uma excepção no aumento de rendas de casa

Os preços das casas para arrendar em Portugal apresentaram um aumento no segundo trimestre deste ano, revelou o índice de preços do idealista. Segundo os dados mais recentes, o custo médio por metro quadrado subiu para 16,2 euros, representando um acréscimo mensal de 0,6%.

Neste período, nove capitais de distrito registaram aumentos nos preços de arrendamento, com Santarém a liderar o ranking com um aumento de 7,2%. Seguiram-se Faro (6,4%), Évora (6%), Aveiro (5,1%), Funchal (4,8%), Leiria (3,3%), Viana do Castelo (1,8%), e Porto (0,7%). Em sentido oposto, os preços desceram em Coimbra (-4,8%) e Viseu (-3,3%), enquanto Setúbal (0,3%), Lisboa (0%) e Braga (-0,5%) mantiveram-se estáveis.

Lisboa continua a liderar como a cidade mais cara para arrendar casa, com um valor de 21,5 euros por metro quadrado. Porto (17,2 euros/m2) e Funchal (14,1 euros/m2) ocupam o segundo e terceiro lugares, respectivamente, seguidos por Faro (12,6 euros/m2), Setúbal (11,8 euros/m2), Aveiro (11,7 euros/m2), Évora (11,3 euros/m2), Coimbra (10,6 euros/m2) e Braga (9,2 euros/m2).

Entre as cidades mais económicas para arrendamento estão Castelo Branco (6,9 euros/m2), Viseu (7,3 euros/m2), Leiria (8,3 euros/m2), Viana do Castelo (8,4 euros/m2) e Santarém (8,4 euros/m2).

No contexto dos distritos e ilhas, destacam-se os aumentos de preços em Portalegre (12%), Santarém (7,1%), e Vila Real (6,1%), enquanto Beja registou a única descida significativa (-9,5%). Lisboa continua a liderar como o distrito mais caro para arrendar casa, com um valor médio de 19,8 euros por metro quadrado, seguido pelo Porto (15,3 euros/m2) e Faro (14,1 euros/m2).

A nível regional, todas as regiões de Portugal viram os preços de arrendamento subir durante o segundo trimestre. O Algarve liderou as subidas com um aumento de 5,8%, seguido pela Região Autónoma dos Açores (5,6%) e pela Madeira (5,4%). A Área Metropolitana de Lisboa mantém-se como a região mais cara, com um valor médio de 19,1 euros por metro quadrado, contrastando com o Alentejo (10,1 euros/m2) e o Centro (9,2 euros/m2), que registaram os preços mais acessíveis.