Coimbra  19 de Julho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra defende escola artística centrada nas artes visuais e audiovisuais

24 de Julho 2023 Jornal Campeão: Coimbra defende escola artística centrada nas artes visuais e audiovisuais

Proposta do Agrupamento de Escolas de Coimbra Centro defende a transformação da Escola Jaime Cortesão, no centro da cidade, numa escola artística especializada nas artes visuais e audiovisuais.

O documento, que foi dado a conhecer esta segunda-feira, na reunião do Executivo municipal, propõe a transformação da Escola Jaime Cortesão numa escola de artes, “onde devem ser ministrados cursos de ensino artístico especializado no âmbito das artes visuais e audiovisuais”, refere a proposta.

A proposta de transformação daquele estabelecimento, situado junto à Baixa de Coimbra, estava prevista no estudo prévio apresentado pelo arquitecto João Mendes Ribeiro em Setembro de 2022 para o futuro espaço do Centro de Arte Contemporânea de Coimbra (CAAC), previamente pensado para a antiga Manutenção Militar.

O estudo propunha uma área expositiva cinco vezes superior e uma requalificação de todo o quarteirão (onde também se encontra aquele estabelecimento escolar).

Segundo o documento do Agrupamento de Escolas Coimbra Centro (AECC), “a agregação de cursos artísticos especializados de nível secundário aos já existentes faz parte de uma visão estratégica mais ampla para a educação pública da região e da cidade com o objectivo de promover a diversidade cultural e a criatividade”.

Além disso, o AECC salienta que a Escola Jaime Cortesão é “vizinha” do TUMO, projecto para jovens entre os 12 e os 18 anos que irá actuar na inserção da tecnologia com a criatividade, afigurando-se “como uma mais-valia geográfica e consequente na educação e formação” dos alunos daquele estabelecimento escolar.

O documento sugere que se possam criar cursos em áreas como o cinema, fotografia, multimédia, design gráfico e de equipamento, ourivesaria ou têxteis, entre outros.

Numa informação do Departamento de Educação e Saúde da Câmara de Coimbra, é salientado que este projecto permitirá formar jovens, mas também ser um local “que sirva a comunidade”, oferecendo oficinas, mostras, exposições e residências artísticas, entre outras valências. No entanto, o mesmo Departamento nota que este é um projecto que está ainda “numa fase muito inicial”.

O presidente da Câmara de Coimbra, José Manuel Silva, realçou que o programa elaborado pelo AECC foi entregue na sexta-feira ao ministro da Educação, que “recebeu de forma entusiástica a proposta”.

Quer os vereadores do PS quer da CDU saudaram a iniciativa, com a vereadora socialista Rosa Cruz a alertar para a necessidade de revisão da carta educativa.

Na resposta, a vereadora com a pasta da Educação, Ana Cortez Vaz, vincou que é necessário ainda dar “uma série de passos” e avançar com “negociações que têm de ser feitas”, mas notou que o ensino artístico é “uma lacuna em Coimbra”.

Sobre a carta educativa de Coimbra, Ana Cortez Vaz esclareceu que a mesma já foi discutida e debatida e que se encontra em fase de conclusão.