Coimbra  21 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Coro D. Pedro de Cristo tem exposição e monografia dos 50 anos

4 de Outubro 2020 Jornal Campeão: Coimbra: Coro D. Pedro de Cristo tem exposição e monografia dos 50 anos

Na Casa Municipal da Cultura de Coimbra decorreu o lançamento da monografia “Côro D. Pedro de Cristo, 50 anos: memória e história(s). 1970-2020”, estando ali patente uma exposição com o mesmo título até 24 de Outubro.

No sábado, a mesa do evento foi presidida por Carina Gomes, vereadora da Cultura da Câmara de Coimbra, que teve a seu lado o apresentador da obra, cónego Pedro Miranda, a maestrina do coro, Cristina Faria, a presidente do coro Leonor Almeida e a presidente da Comissão para as Comemorações, Isabel Pedro.

Carina Gomes agradeceu o simbolismo da escolha deste local para fazer este lançamento e em nome da CMC deu os parabéns ao coro. Isabel Pedro, a mestre de cerimónias, agradeceu a presença de todos e salientou que a comissão a que preside tinha sonhado com nove meses de celebração mas que o sonho foi interrompido, contudo, apesar de todos os condicionalismos, “estamos aqui a celebrar o poder congregador da música”.

O orador principal da sessão, cónego Pedro Miranda, salientou que a mesma pode vir a ser inspiradora de outros estudos sobre grupos corais. Segundo ele o livro é uma exposição permanente da história do coro e deve ser considerado como uma fonte primária porque a história do coro é contada pelos próprios protagonistas, desde a fundação à actualidade. Defendeu ainda que é também uma fonte secundária para os estudiosos da música sacra do Mosteiro de Santa Cruz, concluindo que este trabalho merece o melhor realce assim como a prioridade que o coro tem dado aos compositores portugueses.

A maestrina Cristina Faria agradeceu a todos os presentes e a todos aqueles que fazem parte da história do ccro. Agradeceu, muito particularmente ao seu pai, Francisco Faria, primeiro director artístico do coro D. Pedro de Cristo, a capacidade de a ter levado a descobrir a música “como um caminho de relacionamento com os outros”, destacando ainda que “a música coral é uma arte que permite aproximação e partilha e que nos ensina a importância da socialização.”

A cerimónia terminou com um grupo de oito elementos do coro que cantaram três peças, respectivamente de D. Pedro de Cristo, Lopes Graça e Manuel Faria.

As últimas palavras pertenceram à presidente do coro, Leonor Almeida, que destacou que este o coro foi sempre um marco na arte de cantar em Coimbra e também um marco na sua vida pessoal, porque neste momento é o único elemento da fundação que ainda canta.

No hall da entrada da Casa da Cultura está presente a exposição que tem o mesmo título da monografia apresentada e que pode ser visitada até 24 de Outubro. Após esta data será transferida para o Instituto Justiça e Paz, local onde o coro tem a sua sede há 50 anos.