Coimbra  12 de Junho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Consignada requalificação das escadas da urbanização Quinta das Lágrimas

23 de Maio 2024 Jornal Campeão: Coimbra: Consignada requalificação das escadas da urbanização Quinta das Lágrimas

A obra de requalificação das escadas na Urbanização Quinta das Lágrimas, em Santa Clara, Coimbra, foi consignada por 43.453 euros.

Os trabalhos váo ser efectuados pela empresa José Maria Meneses Relvão & Filhos, Lda, com um prazo de execução de 75 dias.

A escadas situam-se em espaço público, entre os lotes 5 e 6 da Urbanização Quinta das Lágrimas, e apresentam graves problemas de infiltrações de águas pluviais.

A consignação contou com a presença do presidente da Câmara de Coimbra, José Manuel Silva, da vereadora do Espaço Público, Ana Bastos, e do representante da firma adjudicatária, bem como dos serviços municipais envolvidos.

A ficha técnica da obra dá nota de que “a inexistência de órgãos de drenagem no topo da escada é uma das principais razões” para os graves problemas de infiltração assinalados.

As infiltrações originaram diversas patologias graves ao nível da estrutura das escadas, que provocaram o destacamento de pedaços de betão nas vigas resistentes, ficando a armadura desprotegida e suscetível ao processo de carbonatação.

A laje de tecto e paredes, por baixo da referida escada, também apresentam sinais de saturação devido à água que se vai infiltrando. Para além da identificação destes problemas, que carecem de intervenção urgente, é referido, também, que são necessárias outras intervenções de manutenção, tanto ao nível de juntas nos degraus das escadas, como de pinturas no geral.

A proposta de intervenção passa, então, “pela recolha das águas pluviais superficiais e encaminhamento para os órgãos de drenagem existentes, bem como pela implantação de um dreno mais profundo que consiga assegurar que o problema de infiltração fique resolvido”. O dreno deverá ficar localizado a uma profundidade de 1,20 m, de modo que o escoamento das águas captadas seja feito de forma gravítica, inicialmente até uma caixa mais próxima situada na calçada e depois conduzida até uma caixa já existente no arruamento.

As grelhas de recolha das águas superficiais terão, igualmente, uma ligação inicial à caixa de visita mais próxima e a calçada vai ser levantada e recolocada, por forma a corrigir a falta de pendentes no encaminhamento da água para os órgãos de drenagem.

Quanto às estruturas danificadas está prevista a remoção do betão degradado, reforço das armaduras com novos varões, aplicação de agente de colagem e revestimento anticorrosivo para armaduras, argamassa monocomponente reforçada, aplicação de microbetão de enchimento e, por fim, pintadas de cor igual à existente.

Relativamente às restantes intervenções será necessário o refechamento de juntas existentes nas escadas, reparação de zonas com reboco danificado, pintura do gradeamento metálico e pintura de alvenarias em geral de cor igual à existente.