Coimbra  28 de Julho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra conhece o seu primeiro “doutor” em direcção coral e orquestra

29 de Junho 2021 Jornal Campeão: Coimbra conhece o seu primeiro “doutor” em direcção coral e orquestra

Coimbra passou a ter, desde esta segunda-feira, dia 28, um doutor em direcção coral e de orquestra. Paulo Bernardino realizou as provas doutorais em performance, na Universidade de Aveiro, e passou com distinção.

O maestro e compositor conimbricense, especialista em música sacra, é agora o primeiro doutorado na área da direcção em Coimbra, região culturalmente reconhecida pela sua profícua actividade coralística.

No painel de jurados presentes na defesa do, agora, doutorado estiveram: Fernando Rocha, Professor Catedrático da Universidade de Aveiro; Manuel Pedro Ferreira, Professor Catedrático da Universidade Nova de Lisboa; João Manuel Duque, Professor Catedrático da Universidade Católica Portuguesa; Maestro Matta, professor auxiliar jubilado da Universidade Nova de Lisboa; maestro e compositor Vasco Negreiros, Professor Auxiliar da Universidade de Aveiro; e o maestro António Vassalo Lourenço, orientador e professor associado da Universidade de Aveiro.

Durante a defesa foi realçado o “riquíssimo” e largo currículo do candidato como instrumento fundamental para a excelência do trabalho apresentado.

Actualmente, o recém-formado douctor Paulo Bernardino é investigador, maestro, compositor, organista e pianista. Licenciou-se em Engenharia Electrotécnica pela Universidade de Coimbra, em 1998, e em música sacra pela Universidade Católica Portuguesa, no Porto, em 2003. Enquanto autor e compositor é representado pela Imprensa da Universidade de Coimbra (UC), pela editora MPmp e pelas revistas Salicus e STELLA. Tem a seu cargo as direcções artísticas do Coro da Tuna de Perosinho (Gaia), do Grupo Coral de Urrô (Arouca) e do Coral Stella Maris (Anadia) e é, ainda, fundador, entre outros, do Manuel Faria Ensemble, de Coimbra. Colabora desde Janeiro de 2018 com a paróquia de Espinho num projecto que visa a renovação musical litúrgica e sacra, sendo responsável, entre outros, pela criação do coro infantojuvenil Schola Cantorum Stella Maris.

É professor na Escola Diocesana de Música Sacra de Coimbra desde 1994, e tem desempenhado desde então as funções de organista da Sé Catedral de Coimbra, sendo nomeado em 2002 organista titular dessa mesma Catedral. Acumula função idêntica na Capela da Universidade de Coimbra desde 2007. Com mais de uma dezena de trabalhos discográficos, tem se apresentado em concertos a nível nacional e internacional.

Activo em Coimbra desde 1988 – ao apresentar-se pela primeira vez enquanto organista ao serviço do coro D. Pedro de Cristo – Paulo Bernardino tem desenvolvido desde então uma intensa actividade concertística, quer nacional, quer internacional, sendo de destacar, e restringindo-se apenas a Coimbra, a sua passagem enquanto pianista e maestro assistente pelo Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra (1995-2003), maestro do Orfeon Académico da UC (2006-2008) e do Coro dos Pequenos Cantores de Coimbra (2006-2017), para além de todo um trabalho de promoção da música portuguesa em geral e da conimbricense em particular, sempre em estreita colaboração com o Coro Carlos Seixas e a associação CulturXis da qual é vice-presidente. Paralelamente tem desenvolvido uma considerável actividade enquanto compositor e leccionou, ao longo de mais de duas décadas, em prestigiadas instituições de ensino tais como a Faculdade de Letras da UC, a ESEC, o Instituto Piaget e a Universidade Católica Portuguesa.