Coimbra  27 de Junho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Ciclovia vai ser dotada de mais 14,50 quilómetros

1 de Fevereiro 2019

A ciclovia de Coimbra vai ser dotada de mais 14,50 quilómetros, com custo orçado em 2,20 milhões de euros, correspondendo o novo troço ao segmento Estação Velha / Portela.

A empreitada, cuja consignação é apontada para breve pela Câmara conimbricense, inscreve-se no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) e desfruta de co-financiamento de 85 por cento ao abrigo de fundos europeus.

Segundo a Assessoria de Imprensa da edilidade, trata-se de uma aposta da autarquia no sentido de potenciar a utilização da bicicleta nas deslocações casa-trabalho e casa-escola, em detrimento da

utilização do transporte individual motorizado, com a consequente redução de emissões de gases de estufa.

O novo troço da ciclovia tem início junto à estação ferroviária de Coimbra-B, seguindo, em canal próprio, até à ponte-açude, onde deriva para a margem esquerda do rio Mondego. O percurso duplica-se, então, prosseguindo pela avenida de Conímbriga e pelo Parque Verde, onde liga a outro itinerário existente, cujo traçado, através da ponte de Pedro e Inês, se une ao do da margem

direita.

A partir da margem direita do rio, a ciclovia segue ao longo da avenida da Lousã e da de Urbano

Duarte. A partir da rotunda da Boavista (a Leste da ponte da Rainha Santa), há um traçado que segue através do Vale das Flores e outro em paralelo ao trajecto do IC3, estendendo-se à zona do Polo II da Universidade de Coimbra, entrando na Quinta da Portela e culminando próximo da rotunda adjacente à Estrada da Beira.

A partir do Vale das Flores, a ciclovia desdobra-se, junto à Escola de Hotelaria, ligando aos espaços de investigação e, finalmente, à zona residencial da Quinta da Portela e ao Polo II da UC. Outro desdobramento do Vale das Flores ocorre junto ao quartel da Companhia de Bombeiros Sapadores, a fim de a ciclovia assegurar ligação a equipamentos escolares e ao Instituto de Pedro Nunes.

Após a consignação dos trabalhos desta empreitada, prevê-se a realização da obra num horizonte de sete meses.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com