Coimbra  11 de Julho de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Autor de disparos junto ao NB nega intenção de matar seguranças

25 de Junho 2020 Jornal Campeão: Coimbra: Autor de disparos junto ao NB nega intenção de matar seguranças

O jovem acusado de disparar à entrada da discoteca NB, em Coimbra, em 2019, admitiu, hoje (25), ser o autor dos disparos mas negou que tenha tido intenção de matar os três seguranças do estabelecimento.

O arguido, de 23 anos, preso preventivamente, é acusado de três crimes de homicídio qualificado na forma tentada, depois de ter disparado vários tiros (que não atingiram nenhum dos seguranças) na madrugada de 03 e Outubro do ano passado.

Na primeira sessão de julgamento, o jovem admitiu que efectuou disparos e que estava embriagado, mas vincou que nunca teve intenção de matar qualquer dos seguranças que lhe barraram a entrada.

Salientou, ainda, que um dos seguranças disse que apenas o deixava entrar se pagasse 500 euros, versão contrariada pelo ofendido, e assumiu que os insultou, mas que nunca lhes disse que os ia matar caso não entrasse no NB.

“Estava revoltado e o acto que cometi foi de revolta. Eu sabia que as portas eram blindadas e as portas já estavam todas fechadas quando efectuei os disparos. Jamais a minha intenção foi matar algum deles”, afirmou o arguido, referindo que está “extremamente arrependido”.

Porém, nas imagens divulgadas na sessão, a procuradora refere que a porta ainda estava aberta e os próprios seguranças afirmaram no Tribunal de Coimbra que, pelo menos no primeiro disparo contra a porta, esta ainda estaria aberta.

O arguido disse ainda que andava com uma arma porque se sentia ameaçado, na altura dos factos.

Os três seguranças, ouvidos hoje pelo colectivo de juízes, contrariam grande parte da versão dos factos do arguido, confirmando os três que o jovem ameaçou que os matava caso não o deixassem entrar.

Depois de um primeiro disparo para o ar, um dos seguranças disse que tinha “quase a certeza” que a porta da discoteca ainda estava aberta quando o arguido efectuou um disparo em direcção a esta. Num segundo disparo contra a porta, esta já estaria fechada, salientou.

Segundo um dos seguranças, o arguido era conhecido por provocar desacatos na noite de Coimbra.