Coimbra  13 de Junho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: Assaltante condenado a sete anos e oito meses de prisão

13 de Fevereiro 2017 Jornal Campeão: Coimbra: Assaltante condenado a sete anos e oito meses de prisão

Um homem de 26 anos acusado de assaltar 13 residências em Coimbra, entre outros crimes, foi hoje condenado pelo tribunal local a sete anos e oito meses de prisão.

Natural da Amadora e preso à data da acusação no Estabelecimento Prisional de Aveiro, o arguido era acusado de um crime de roubo, 10 crimes de furto qualificado, dois crimes de furto simples, um crime de violência após a subtração, um crime de roubo na forma tentada e quatro de furto qualificado na forma tentada, entre 2015 e 2016.

No âmbito do mesmo processo, foi também julgado um vendedor ambulante, residente em Coimbra, pelo crime de coacção, o qual foi hoje condenado a sete meses de cadeia.

Este homem foi acusado de ter ameaçado uma pessoa que responsabilizava por uma dívida de 30 euros.

Nessa situação, em Fevereiro de 2015, o principal arguido, que acompanhava o feirante, agarrou na vítima e agrediu-a com vários pontapés no corpo, efectuando depois o levantamento bancário de 200 euros com o cartão pessoal do ofendido, de acordo com a acusação do Ministério Público (MP).

Os assaltos, segundo o MP, ocorreram em Abril e Setembro de 2015 e em Abril de 2016, registando-se vários furtos num mesmo dia.

O jovem aproveitava portas traseiras destrancadas, trepava vários metros para entrar nas casas por uma janela, arrombava portas e partia também por vezes vidros de janelas para se conseguir introduzir na casa das pessoas, refere o Ministério Público.

Sempre que era surpreendido por um morador dentro da habitação, o arguido punha-se em fuga.

Além de assaltos a residências, o arguido foi também acusado de furtar alianças numa ourivesaria no valor de 7 000 euros e de entrar num estabelecimento de compra de ouro e ameaçar o empregado com uma faca, roubo que não chegou a concretizar.

Por ter assaltado uma habitação na zona de Penacova, no mesmo período, o homem foi igualmente julgado no âmbito de outro processo no tribunal daquela vila.