Coimbra  24 de Fevereiro de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra adere ao Pacto Institucional para a Valorização da Economia Circular

29 de Novembro 2023 Jornal Campeão: Coimbra adere ao Pacto Institucional para a Valorização da Economia Circular

A Câmara Municipal de Coimbra (CMC) vai aderir, amanhã, dia 30, ao Pacto Institucional para a Valorização da Economia Circular, lançado, pela segunda vez, pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Regional do Centro (CCDRC) e integrado na Agenda Regional de Economia Circular do Centro. A autarquia integra com a criação de uma rede de recolha de biorresíduos nos estabelecimentos de restauração e hotelaria do centro histórico e um projecto-piloto que vai possibilitar a incorporação da inteligência artificial no processo gestionário do sistema de recolha de resíduos urbanos da cidade.

Esta é uma iniciativa de subscrição aberta e voluntária, à qual a CMC adere e com a qual se pretende promover a adopção de práticas transformadoras de uma economia linear e de esgotamento de recursos para uma economia circular, onde o tempo de residência das matérias-primas seja o mais longo possível nas cadeias de valor e que resulte numa diminuição expressiva na produção de resíduos.

A CM de Coimbra integra o pacto com dois importantes projectos: a criação de uma rede de recolha de biorresíduos nos estabelecimentos de restauração e hotelaria da Alta e da Baixa de Coimbra e um projecto-piloto que vai permitir a incorporação da inteligência artificial no processo gestionário do sistema de recolha de resíduos urbanos da cidade.

O projecto de biorresíduos vai permitir desviar de aterro uma quantidade significativa de resíduos orgânicos que irão ser encaminhados para a produção de um composto que poderá ser utilizado em actividades agrícolas, completando-se desta forma um ciclo e respondendo em paralelo aos imperativos da legislação dos resíduos europeia e nacional.

“A adesão ao pacto demonstra o empenho da CM de Coimbra na adopção de práticas de reaproveitamento de recursos, contribuindo, deste modo, para minimizar o envolvimento económico da autarquia, desviando resíduos do aterro, melhorando o sistema gestionário, tendo em consideração as componentes ambiente e sustentabilidade”, considera o vereador responsável pelo pelouro do Ambiente da CM Coimbra, Carlos Matias Lopes.