Coimbra  2 de Junho de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra: 8.ª edição do Ciclo de Requiem focada em autores portugueses

5 de Março 2020 Jornal Campeão: Coimbra: 8.ª edição do Ciclo de Requiem focada em autores portugueses

A oitava edição do Ciclo de Requiem em Coimbra, que arranca no dia 19, vai contar com cinco concertos e com o foco em autores portugueses contemporâneos, foi hoje anunciado.

A iniciativa, organizada pelo Coro Sinfónico Inês de Castro, volta a dinamizar cinco concertos de música coral sinfónica, em diferentes locais da cidade, começando com duas datas neste mês e estendendo-se até Outubro.

“Procuramos, sempre que possível, trazer compositores portugueses e até pedir a compositores para escreverem para nós, para mostrar a música que se está a fazer”, disse o director artístico do Coro Sinfónico Inês de Castro, Artur Pinho Maria.

O ciclo começa no dia 19, na Capela da Misericórdia de Coimbra, com um concerto dos Cupertinos, em torno da obra de Manuel Cardoso.

Segue-se, no dia 22, na Antiga Igreja do Convento São Francisco, uma evocação aos 200 anos do nascimento de Beethoven, com a participação do coro Art Lumen, acompanhado pela Orquestra Inês de Castro.

Em 03 de Abril, o Coro Sinfónico Inês de Castro interpreta a obra recentemente estreada “Te Deum”, do compositor contemporâneo Pedro Macedo Camacho, e, a 10, apresenta no auditório do Convento São Francisco o “Concerto pela Paz”, com obras de Gabriel Fauré e participação do Orfeon Académico de Coimbra.

Em Outubro, ainda sem data definida, será estreada uma obra inédita de Leonor Abrunheiro, da direcção artística do coro, que conta com um poema de Miguel Torga, num concerto evocativo dos 25 anos da morte do escritor, onde também vai ser interpretada uma obra do compositor Eugénio Rodrigues.

Segundo Artur Pinho Maria, “há um grande de leque de excelentes compositores e compositoras” contemporâneos.

O responsável salientou que o ciclo procura não tanto a linguagem experimentalista que hoje surge, mas antes uma ligação à “linguagem clássica e romântica”, mais fácil de levar ao público.

De acordo com Artur Pinho Maria, o ciclo tem tido uma “grande aceitação por parte das pessoas da cidade”.

“Só continuamos o ciclo, porque conseguimos que este seja suportado por mais de 35% pela bilheteira”, vincou.

Com excepção do concerto solidário, em 03 de Abril, todos os restantes concertos têm um preço de 10 euros por entrada, refere a presidente do coro, Maria do Rosário Pinheiro.