Coimbra  6 de Dezembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Coimbra 30-2030: Colóquio Internacional sobre arquitectura e espaço urbano

13 de Novembro 2021 Jornal Campeão: Coimbra 30-2030: Colóquio Internacional sobre arquitectura e espaço urbano

Durante os dias 16 e 17, decorre o Coimbra 30-2030: Colóquio Internacional sobre arquitectura e o espaço urbano da cidade, no Auditório da Reitoria da Universidade de Coimbra.

O evento conta com a coordenação de José António Bandeirinha, Luís Miguel Correia e Carolina Coelho, com a colaboração de Martinho Araújo.

Durante estes dois dias haverá várias sessões destinadas ao tema e com participação de vários intervenientes. No primeiro dia, terá, por exemplo, o mestre Domingos Domingues em Coimbra – inventor de Santa Clara-a-Velha; A Sé-Velha de Coimbra. O restauro de António Augusto Gonçalves; Diogo de Castilho: uma versão do desenho “ao romano” em Coimbra; Guilherme Elsden e a reforma arquitetónica e urbana da Alta de Coimbra, entre outros.

Já no segundo dia conta com Alberto Pessoa e o desenho de uma arquitetura pública: Da Biblioteca Geral às Instalações Académicas da Universidade de Coimbra; Reescrever no palimpsesto. O Museu Nacional de Machado de Castro segundo Gonçalo Byrne; o projecto urbano do caminho de ferro e a centralidade de Coimbra-B com Gonçalo Canto Moniz (UC/CES), entre outros.

“A Agenda 2030 das Nações Unidas sugere-nos um caminho fundamentado em dezassete Objectivos de Desenvolvimento Sustentável. Com o presente colóquio, pretende-se desenhar a cidade de Coimbra à luz de certas permanências que, por ora, ainda identificam distintas ‘reformas’ produzidas ao longo da sua existência. Observaremos tais transformações, enquadrando-as no tempo e no espaço, com centro na arquitectura da cidade e em alguns dos seus protagonistas, os arquitectos. Assim, em dois dias, reúnem-se autores de reconhecido mérito nacional e internacional que nos oferecerão uma renovada perspectiva da evolução da cidade. Posicioná-la-emos no contexto regional, nacional e no espaço europeu e global. Da presença romana à contemporaneidade (30-2030), testemunharemos como na cidade de Coimbra os arquitetos manifestaram, através dos seus projectos e obras, os sonhos da época, legados do devir”, refere o Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX.