Coimbra  27 de Maio de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CMC rejeitou proposta do PS de revisão orçamental

19 de Abril 2019

A oposição no seio da Câmara de Coimbra «chumbou», ontem (18), uma proposta de revisão do orçamento para 2019, levando Manuel Machado a advertir que poderá faltar dinheiro para salários.

Uma proposta apresentada pela vereadora Regina Bento (eleita pelo PS), rejeitada pelas demais forças políticas, visava alocar parte de 35,70 milhões de euros do saldo de gerência da autarquia a encargos com pessoal.

O vereador da CDU e congéneres eleitos pelo PSD e pelo movimento “Somos Coimbra” consideraram caber a Regina Bento apresentar outra proposta, tendo o vereador José Manuel Silva (independente) recomendado ao líder do Município que enverede pelo diálogo na medida em que o PS só desfruta de maioria relativa.

Os vereadores da oposição desdramatizaram a advertência do presidente da Câmara acerca da hipotética dificuldade de satisfazer encargos com pessoal, em Junho, por ocasião do pagamento do subsídio de férias.

Citado pela Agência Lusa, Manuel Machado aludiu a “atraso de operações planeadas”; ainda assim, admitiu que o protelamento é “menos ruim” do que se houvesse um exercício contabilístico negativo.

[A revisão] “não espelha as nossas propostas e projectos já apresentados e as recomendações expressas na Assembleia Municipal”, declarou o autarca Paulo Leitão (PSD).

“Fomos claros na exigência de que, em sede de revisão orçamental com o saldo de gerência, se corrigissem distorções das Grandes Opções do Plano”, indicou Francisco Queirós (CDU).