Coimbra  17 de Setembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CMC: Machado ensaia sedução com um milhão em vez de sete

30 de Outubro 2018

Manuel Machado suspendeu, hoje, uma reunião da Câmara de Coimbra, a reatar quarta-feira, na expectativa de reunir condições para aprovação do orçamento do Município para 2019.

O autarca limitara-se a preconizar a transferência de 3,08 milhões de euros da praça de 08 de Maio para as juntas das 18 freguesias do concelho, montante inferior à terça parte da verba recomendada através de uma moção aprovada pela Assembleia Municipal mediante proposta da CDU.

Fontes autárquicas disseram ao “Campeão” que o vereador Francisco Queirós (CDU) «entrou mudo e saiu calado», no âmbito da sessão extraordinária convocada para hoje, silêncio que terá levado o líder do Município a sentir comprometida a aprovação da sua proposta.

Neste contexto, o presidente da Câmara acenou com reforço de um milhão de euros das transferências para as freguesias no âmbito dos contratos interadministrativos de delegação de competências e dos acordos de execução.

Num cenário de votos desfavoráveis da coligação “Mais Coimbra” (PSD – CDS – PPM – MPT) e do movimento “Somos Coimbra”, a aprovação do orçamento camarário através de voto de qualidade do líder do Município fica dependente da abstenção da CDU.

A recomendação feita pela Assembleia Municipal (AM) aponta para um valor de transferências superior ao preconizado pelo referido movimento cívico.

O vereador e líder de “Somos Coimbra”, José Manuel Silva, disse ao “Campeão” que o movimento tem feito “pedagogia no sentido de a CDU exigir” ver honrado o alcance da moção levada à AM pela coligação PCP / “Os Verdes”.

Paulo Leitão, vereador do PSD, declarou ao nosso Jornal estar expectante em relação à posição de Francisco Queirós, confessando estranheza se um milhão em sete milhões de euros bastar para o autarca comunista viabilizar a aprovação do orçamento camarário.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com