Coimbra  22 de Setembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CMC cria plataforma educativa para pré-escolar e 1.º ciclo

2 de Dezembro 2016 Jornal Campeão: CMC cria plataforma educativa para pré-escolar e 1.º ciclo

Verificar os dados do aluno, consultar pagamentos e assiduidade, marcar ou desmarcar refeições, consultar ementas, aceder a referências multibanco, consultar facturas e tantas outras funcionalidades são o que os encarregados de educação poderão fazer com a nova plataforma educativa criada pela Câmara Municipal de Coimbra.

A ferramenta, disponível online e em qualquer smartphone, foi hoje apresentada pelo presidente da autarquia, que garante ser “um sistema inovador” para “interagir com os interessados (pais e encarregados de educação) de uma forma segura, imediata, permanente e com fiabilidade”, esclareceu Manuel Machado, presidente da Câmara Municipal de Coimbra.

A plataforma, destinada aos cerca de 5 000 alunos do pré-escolar e 1.º ciclo do concelho, pais, encarregados de educação, docentes e técnicos da autarquia, pretende que se possam aceder a todas as informações sobre os alunos e estará em fase de testes durante o mês de Dezembro para que, em Janeiro, esteja em pleno funcionamento.

Com a SIGA – Sistema Integrado de Gestão e Aprendizagem vai ser possível aos encarregados de educação saberem informações sobre refeições, currículos, acção social e transportes das crianças.

“O ensino e a educação são um ponto de honra para nós e tem havido um empenho dos profissionais. Esta é uma área sensível, que levamos a sério, mesmo com as contrariedades que esta motiva”, afirmou o édil.

A plataforma vai, ainda, contar com questionário de satisfação sobre os serviços escolares, nomeadamente no que diz respeito às refeições (que está a ser preparado), para que haja verdadeira interacção entre os encarregados de educação e os serviços da autarquia. Os responsáveis pelos alunos vão começar a ser notificados para a adesão à plataforma já esta segunda-feira.

A Câmara Municipal investiu cerca de 48 000 euros para a criação desta nova ferramenta.

Ainda no âmbito da apresentação desta plataforma e face à posição da Associação de Pais da Escola Básica de São Martinho do Bispo relativamente às refeições servidas às crianças, que têm vindo a ser alvo de críticas por parte dos encarregados de educação (que ameaçam não pagar e encontrar novas soluções para os seus educandos), Manuel Machado disse que se “preocupa que as crianças não sejam  alimentadas da melhor forma”, garantindo que “a área das refeições escolares é especialmente importante” e que, por isso, têm “feito todos os esforços”.

O édil foi mais longe, dizendo que o executivo “não se deixa intimidar com o que quer que seja”, assumindo que querem “fazer parte da solução e não do problema”.

Quando perguntado sobre a utilidade da plataforma para ajudar a resolver a situação das refeições escolares, o autarca afirmou que “há problemas reais e problemas ficcionados” e que esta “via” de comunicação com os pais e encarregados de educação servirá “para que não se repitam queixas fundadas e infundadas sobre as refeições escolares”.