Coimbra  14 de Junho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CMC: A “patranha” do Metro na Cruz de Celas

5 de Dezembro 2016 Jornal Campeão: CMC: A “patranha” do Metro na Cruz de Celas

O arranjo urbanístico do largo da Cruz de Celas motivou, hoje, uma acalorada troca de palavras entre o actual e o anterior presidente da Câmara Municipal de Coimbra (CMC), tudo porque se falou (da patranha) do Metro.

João Paulo Barbosa de Melo, vereador do PSD, considerou que as obras, como estão apresentadas, significam a “capitulação” do projecto do Metro, que no largo da Cruz de Celas previa um troço em túnel, na ligação aos Hospitais da Universidade.

“Para além de se mostrar uma desistência do Metro, estou também surpreendido por não ver um estudo de tráfego, numa zona bastante congestionada”, declarou o social-democrata, da coligação “Por Coimbra”.

“O que disse é uma patranha”, replicou o presidente da Câmara, com Barbosa de Melo a considerar-se ofendido e a questionar Manuel Machado se sabia o que estava a dizer [patranha = mentira, peta, aldrabice].

O líder do Município respondeu que o projecto está compatível com o Metro do Mondego, enquanto a vice-presidente, Rosa Reis Marques, quis esclarecer que “a obra não é um túnel, só uma rotunda”, mas com Manuel Machado a desmentir, esclarecendo tratar-se de uma praça.

O vereador socialista Jorge Alves ainda acrescentou que “o túnel foi à vida” no “corte de gorduras” do projecto do Metro, com José Ferreira da Silva, do movimento Cidadãos por Coimbra (CpC), a justificar que se preferia abster na votação.

“O PS tem apresentado tantos projectos, que ainda vão dar mais 10 notícias do que se vai fazer, que as pessoas até pensam que as obras já estão feitas”, declarou o vereador, justificando a sua abstenção até “ver a obra em execução”.

Chegados à votação, o anteprojecto que prevê a construção de uma praça arborizada no largo da Cruz de Celas foi aprovado pelos eleitos do PS (cinco) e da CDU (um), com a abstenção do PSD (quatro) e de CpC (um).

A intervenção enquadra-se no projecto caminho pedonal Cruz de Celas – “Baixa”, que engloba o largo da Cruz de Celas, a rua de Augusto Rocha e a rua de Lourenço de Almeida Azevedo.

Calcula-se que a intervenção nestes três locais tenha um custo de 693 240 euros e trata-se de uma empreitada incluída no Plano de Acção de Mobilidade Urbana Sustentável (PAMUS) do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU) de Coimbra.