Coimbra  28 de Fevereiro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CM de Coimbra apoia instituições de solidariedade social com mais de 220 000 euros

13 de Janeiro 2021 Jornal Campeão: CM de Coimbra apoia instituições de solidariedade social com mais de 220 000 euros

Manuel Machado, presidente da Câmara Municipal (CM) de Coimbra, formalizou, esta terça-feira (12), contratos-programa de desenvolvimento social com 12 Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho, no âmbito do Regulamento Municipal para Atribuição de Apoios na Área Social (RMAAAS), que representam um apoio global superior a 200 000 euros. A estes, somam-se outros três, que já foram celebrados com a Associação das Cozinhas Económicas Rainha Santa Isabel (ACERSI), Banco Alimentar Contra a Fome de Coimbra e delegação de Coimbra do CASA, num valor superior a 26 000 euros, para possibilitar que as instituições continuem a prestar apoio alimentar às famílias em situação de vulnerabilidade socioeconómica do concelho, uma situação agravada pela pandemia.

Jorge Alves, vereador da área social, esteve presente na cerimónia. A CM Coimbra continua a reforçar o apoio às instituições de solidariedade social do concelho, responsáveis pelo auxílio a pessoas e famílias em maior vulnerabilidade socioeconómica, que se encontram numa situação agravada pela pandemia.

A autarquia já apoiou, a contar com os contratos-programa assinados esta terça-feira (12), 15 instituições espalhadas um pouco por todo o concelho, com um montante global que ascende a 226 000 euros.

As IPSS que assinaram contrato foram: a Associação Nacional de Apoio a Jovens – AnaJovem (14 190 euros), a Associação Recreativa, Cultural e Social de Cioga do Monte (12 370 euros); a Casa dos Pobres de Coimbra (11 577 euros); Centro de Apoio Social de Souselas (21 059 euros); o Centro Social de S. João (42 137 euros); o Centro Paroquial de Solidariedade Social de Ribeira de Frades (8599 euros); o Centro Social e Paroquial de S.João do Campo (10 679 euros); o Centro Social e Recreativo da Cidreira (15 087 euros); a Comunidade Juvenil Francisco de Assis (14 126 euros); a Fundação ADFP (37 342 euros); a Fundação Madre Sacramento (9 607 euros); e a Plataforma PAJE – Apoio a Jovens (ex)Acolhidos (2 640 euros). No total, os apoios da autarquia são de 199 419 euros.

A AnaJovem solicitou um apoio financeiro para o desenvolvimento do projecto “PIDAI – Programa de Intervenção nas Dependências para Adultos Idosos”, que tem como objectivo a aplicação de um programa de intervenção psicossocial, ao domicílio, direccionado para a psicoeducação, treino cognitivo e dificuldades emocionais apresentadas por idosos que tenham familiares directos de consumidores de substâncias. O projecto, que será apoiado com 14 190 euros, tem na sua base uma intervenção no domicílio da população-alvo e contempla as freguesias limítrofes da cidade de Coimbra, abrangendo populações que habitam em zonas rurais e com maior propensão para o isolamento.

Já a Associação Recreativa, Cultural e Social de Cioga do Monte vai receber 12 370 euros, que se destinam a comparticipar a implementação do projecto “Atalhos – Envelhecimento Activo e Socialmente Inclusivo. Este projecto tem como objectivo criar e promover a aprendizagem ao longo da vida. Terá como destinatários um total de 55 pessoas, para além dos 20 idosos residentes na estrutura residencial desta instituição.

O apoio financeiro concedido à Casa dos Pobres de Coimbra destina-se à aquisição de equipamento para organização do espaço e funcionamento da sua Estrutura Residencial para Pessoas Idosas (ERPI). A instituição, que conta com uma ERPI com capacidade para 63 pessoas, pretende agora adquirir equipamento para a “operacionalização de medidas de higiene, organização do espaço e funcionamento” da infraestrutura, de forma a promover um ambiente seguro para os idosos, colaboradores e comunidade. Este investimento, tendo em conta o momento que atravessamos de curso da pandemia COVID-19, contribuirá para a não propagação do vírus. O apoio municipal é de 11 577 euros.

Por sua vez, o Centro de Apoio Social de Souselas vai receber 21 059 euros para a implementação do projecto “Viver em autonomia”. Este apoio irá permitir que 60 pessoas idosas, beneficiárias de serviço de apoio domiciliário, especialmente na União das Freguesias de Souselas e Botão, tenham acesso a actividades que promovem um envelhecimento activo, saudável e feliz.

A autarquia irá, ainda, comparticipar, com 42 137 euros, a 2.ª fase das obras de edificação da ERPI do Centro Social de S. João, o que possibilitará a criação de mais 14 vagas, para além das 27 vagas criadas na 1.ª fase de edificação desta infraestrutura. No total, a ERPI disponibilizará 41 vagas nesta resposta social. Refira-se que a autarquia apoiou, também, a 1.ª fase de edificação da ERPI, com mais de 90 000 euros, e que o Centro Social de S. João, pela variedade de respostas sociais que disponibiliza, tornou-se numa instituição de referência, procurada cada vez mais pela população residente e não residente na União das Freguesias de S. Martinho do Bispo e Ribeira de Frades.

O Centro Paroquial de Solidariedade Social de Ribeira de Frades vai receber 8 599 euros, que se destinam a comparticipar a aquisição de uma plataforma elevatória para o edifício onde funcionam as respostas sociais de centro de dia e serviço de apoio ao domicílio. Esta foi a melhor solução encontrada para permitir uma acessibilidade perfeita aos idosos.

Já o Centro Social e Paroquial de S. João do Campo pretende implementar o projecto “Nós e a Terra”, que procura fomentar a interacção com a natureza, a agricultura, a alimentação saudável junto das comunidades locais. O projecto será desenvolvido em vários locais da freguesia de São João do Campo e destina-se, essencialmente, a crianças e idosos. Desta forma, o projecto permite que as crianças brinquem ao ar livre e contactem com a natureza e ajuda a combater o isolamento social e a solidão entre a população idosa, promovendo a sua inclusão social e qualidade de vida. O apoio financeiro é de 10 679 euros.

O Centro Social e Recreativo da Cidreira vai receber 15 087 euros para implementar o projecto “Cidreira com Vida e Arte”. Um projecto que tem como objectivo promover o envelhecimento activo. O projecto “Cidreira com Vida e Arte” vai disponibilizar as seguintes actividades: ateliers de artes e ofícios, actividades físicas e passeios por locais de interesse. A iniciativa irá beneficiar directamente a população que frequenta o Centro Cívico da Freguesia, num total de 47 pessoas (35 crianças e jovens e 12 idosos), bem como todos os idosos que demonstrem interesse em participar nas actividades.

Já a Comunidade Juvenil Francisco de Assis pretende implementar o projecto “Laços de Família”, que tem como objectivo aproximar e fortalecer os laços de família e proporcionar o desenvolvimento do bem-estar físico, social e emocional dos elementos da família. O projecto vai ser implementado através de contactos por telecomunicações, atendimentos presenciais com as famílias, visitas domiciliárias e em articulação com os recursos da comunidade. Uma iniciativa que permitirá aumentar e melhorar a intervenção junto das famílias em situação de vulnerabilidade social, detectando precocemente problemas como o absentismo escolar, entre outros. O apoio é de 14 126 euros.

A Fundação ADFP vai receber 37 342 euros, destinados a comparticipar a actividade desenvolvida no Projecto “Sem-Abrigo Zero”, que se constitui como um centro de acolhimento de emergência para pessoas em situação de sem-abrigo em Coimbra. Este apoio irá permitir o acolhimento até 35 pessoas em situação de sem-abrigo.

A Fundação Madre Sacramento vai receber 9607 euros, para apoiar a actividade desenvolvida pela instituição no apoio a vítimas de violência e exclusão social. Este apoio irá permitir a continuidade de duas respostas de apoio. Por um lado, uma resposta direccionada para a inclusão socio-laboral, sendo uma resposta inovadora e eficaz à problemática do desemprego e de exclusão social em grupos vulneráveis. Por outro lado, vai permitir uma resposta que tem como objectivos a promoção da redução de riscos de exclusão social; bem como de competências pessoais e sociais das pessoas em situação de vulnerabilidade social, nomeadamente as vítimas de violência e exclusão social.

Por fim, a Plataforma PAJE, que tem como missão amparar e encaminhar jovens adultos ex-acolhidos no sentido da sua plena autonomização, trabalhar essa autonomização dos jovens que ainda se encontram em acolhimento, formar cuidadores e promover a investigação científica nesta área do acolhimento residencial, vai receber 2 640 euros para continuar a desenvolver a sua actividade junto da população-alvo, na sua maioria vítimas precoces de maus tratos familiares ou negligência social.

A CM Coimbra já formalizou, também, três contratos-programa de desenvolvimento social, ao abrigo do RMAAAS, com a ACERSI (10 616 euros), Banco Alimentar Contra a Fome de Coimbra (7 600 euros) e delegação de Coimbra do CASA (8 500 euros), num total de 26 716 euros. Um apoio financeiro que possibilita que estas instituições continuem a prestar apoio alimentar às famílias em situação de maior vulnerabilidade socioeconómica do concelho, uma situação agravada pela pandemia da covid-19, assegurando-lhes a entrega de bens alimentares e o fornecimento de refeições.

Segundo a CM de Coimbra, esse apoio alimentar imediato às famílias mais carenciadas é actualmente uma das respostas prioritárias.