Coimbra  27 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Cirurgiões de Coimbra inovam no tratamento em doentes com cataratas

29 de Julho 2020 Jornal Campeão: Cirurgiões de Coimbra inovam no tratamento em doentes com cataratas

Uma equipa de cirurgiões da Unidade de Oftalmologia de Coimbra (UOC) tem alcançado resultados promissores com a aplicação de uma nova lente intraocular para a correcção da presbiopia (dificuldade de ver ao perto), em doentes com cataratas ou com cristalino transparente.

Esta clínica aplicou, pela primeira vez em Portugal, a técnica em mais de 20 pacientes com sucesso, resultando em melhorias para a sua visão. A intervenção pioneira torna desnecessário o uso de óculos na maioria das situações e sem queixas de diminuição da qualidade de visão à noite.

As cataratas são a patologia ocular mais comum relacionada com a idade e a principal causa de cegueira evitável, sendo a cirurgia da catarata um procedimento recorrente. Têm como principal consequência a diminuição da visão, em particular em pessoas com mais de 60 anos, com evidentes impactos na qualidade de vida.

Os doentes que são tratados com esta técnica inovadora realçam o facto de a lente “Vivity” oferecer, simultaneamente, uma visão à distância e intermédia de alta qualidade e uma boa visão funcional ao perto, com pouco desconforto visual.

O médico Joaquim Murta, líder da equipa clínica da UOC e Professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, destaca o avanço que esta lente significa para a qualidade de vida dos doentes. “Os resultados têm sido extraordinários. Os doentes que tratámos com esta técnica referem que conseguem alcançar uma excelente visão de longe e de média distância e uma grande independência na visão de perto, possibilitando a dispensa dos óculos em praticamente todas as suas actividades. Ao mesmo tempo, referem a ausência de halos e de outras perturbações visuais, mesmo em ambientes com muita pouca luminosidade. Comporta-se como uma lente monofocal mas funciona como uma lente multifocal. Este é, efectivamente, um grande avanço no tratamento da presbiopia associada às cataratas”.

O Professor Joaquim Murta acrescentou que, ainda este mês, vão iniciar “um estudo comparativo detalhado entre diversos tipos de lentes intraoculares para correcção da presbiopia. Temos a convicção de que esta nova lente poderá vir a ser, em breve, a primeira escolha na grande maioria dos doentes sujeitos a cirurgia de catarata”.