Coimbra  23 de Abril de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

‘Cidadãos por Coimbra’ quer “dar a volta” à UF de Eiras e S. Paulo de Frades

26 de Fevereiro 2021 Jornal Campeão: ‘Cidadãos por Coimbra’ quer “dar a volta” à UF de Eiras e S. Paulo de Frades

Sob o lema “Dar a volta a isto”, o movimento ‘Cidadãos por Coimbra’ (CpC) pretende uma ligação entre as pessoas residentes nos vários lugares da União de Freguesias (UF) de Eiras e S. Paulo de Frades com vista à construção de uma alternativa “ao poder autárquico desatento e ultrapassado”.

Segundo o CpC, o desafio na União de Freguesias de Eiras e São Paulo de Frades é o de “transformar um somatório de retalhos, lugares e bairros numa manta acolhedora, solidária e urbanamente confortável”.

“Esta foi a principal conclusão da reunião que na noite de quinta-feira (dia 25) juntou cidadãos e cidadãs de muitos pontos desta União de Freguesias, preocupados com a fragilização social que as más condições urbanas potenciam e a pandemia agravou”, refere o CpC, adiantando que os participantes identificaram os seguintes “alvos urgentes”:

«- A valorização dos pontos fortes da Freguesia, como, entre outros, o Centro de Saúde, as escolas, outras instituições de educação/formação e as associações de moradores e outras colectividades, que reivindicam da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal a atenção e o apoio que lhes é devido;

– A criação de ligações pedonais adequadas entre os vários bairros e urbanizações;

– A criação de espaços públicos seguros, inclusivos, acessíveis e verdes, que tenham em conta e de modo especial crianças, pessoas idosas e pessoas com deficiência: zonas de estar, de recreio infantil, de exercício físico e de convívio e lazer;

– A construção de equipamentos culturais, alguns há muitos previstos e sempre adiados (o Centro Cultural da Relvinha e o Centro Cívico do Planalto do Ingote), que deverão funcionar como polos dinamizadores da vida cultural, desportiva e cívica de toda a malha urbana norte da cidade;

– A melhoria geral da iluminação pública que está ligada ao factor segurança e à possibilitação do maior e melhor uso dos espaços públicos pelas pessoas;

– A melhoria da rede de Internet em todos os lugares da União de Freguesias;

– A limpeza e protecção das linhas de água e das zonas florestais;

– A reabilitação das zonas em crescente degradação porque espaços de antigas empresas abandonadas, pois, além de marcarem negativamente a paisagem urbana, apresentam-se como espaços que aumentam a sensação de insegurança e que facilmente se transformam em lixeiras (ex: Estaco, Triunfo, Miderâmica…)».

“Os cidadãos e cidadãs presentes no encontro promovido pelo CpC propõem-se constituir, nas próximas semanas, um movimento de ligação entre as pessoas residentes nos vários lugares desta União de Freguesias, com vista à construção de uma alternativa ao poder autárquico desatento e ultrapassado”, refere o movimento, anunciado que o próximo encontro on-line ficou agendado para 11 de Março.