Coimbra  28 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Cidadãos por Coimbra ambicionam contribuir para um novo projecto educativo

17 de Setembro 2021 Jornal Campeão: Cidadãos por Coimbra ambicionam contribuir para um novo projecto educativo

O líder do movimento Cidadãos por Coimbra (CpC) à Câmara de Coimbra diz que espera nos próximos anos ajudar a construir um novo projecto educativo para o concelho, que “bata certo” com a Carta Educativa Municipal.

Nesta sexta-feira, numa manhã dedicada à educação, com uma visita à escola sede do Agrupamento Rainha Santa, na freguesia de Eiras, Jorge Gouveia Monteiro destacou a necessidade de se actualizar a Carta Educativa devido a questões demográficas e à transferência de competências no sector para o município de Coimbra.

“É preciso um projecto educativo que bata certo com a Carta Educativa e que todos os agrupamentos estejam muito entusiasmados com o projecto educativo, que é isso que o CpC vai procurar ajudar a construir nos próximos anos”, sublinhou.

Gouveia Monteiro manifestou a expectativa “de que venha a haver um Município muito mais interveniente com um projecto educativo que está a faltar, com uma Carta Educativa que resolva várias destas distorções e depois com uma articulação muito melhor com o IEFP [Instituto de Emprego e Formação Profissional]”.

No seguimento da visita à escola, o candidato disse que existe uma “distorção da rede escolar, que faz com que muitos jovens e crianças daquela zona norte do concelho sejam colocados noutros lados”.

Segundo Gouveia Monteiro, o Município “não está a intervir como devia” na definição da rede escolar e a Direcção-Geral de Estabelecimentos Escolares “está a despachar” para os agrupamentos da rede escolar.

“Há aqui um problema de que deve ser resolvido rapidamente e que exige uma postura muito mais dinâmica do Município para apoiar as direcções dos agrupamentos”, salientou.

O programa do CpC defendeu que as escolas devem articular as actividades educativas com as culturais e “assumirem-se crescentemente como polo dinamizador da vida cultural daquela comunidade”.

“É preciso resolver os problemas da rede escolar e depois dinamizar actividades da escola para a própria comunidade, no desporto e cultura”, reiterou Gouveia Monteiro, que disse ter encontrado “grande abertura” no Agrupamento Rainha Santa para esse passo.

O candidato do CpC defendeu ainda o alargamento da experiência de fornecimento de refeições escolares aos alunos pelas próprias escolas, com base em produtos agropecuários locais, como aconteceu na escola do 1.º ciclo de Brasfemes.