Coimbra  13 de Novembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CHUC atingiram excelente desempenho em 19 serviços de enfermagem

17 de Outubro 2019

A qualidade dos cuidados de enfermagem hospitalares no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) atingiram um desempenho excelente, superior a 90 por cento, em 19 serviços prestados aos doentes, foi hoje anunciado.

Os dados da “Avaliação da Qualidade de Cuidados de Enfermagem Hospitalares” correspondem ao período em avaliação decorrido entre Março e Julho, adianta aquela estrutura hospitalar.

A avaliação contabilizou um total de 245 processos de auditoria em 49 serviços, com doentes elegíveis para a aplicação do instrumento de avaliação adoptado, ‘doentes dependentes’.

O CHUC salienta que “a meta preconizada para o ano de 2019 foi atingida pela maioria dos serviços”.

“Salientamos também que 19 destes serviços atingiram um desempenho excelente, superior a 90 por cento, e que há uma franja elevada de serviços que tende a aproximar-se deste valor. O Índice de Qualidade Institucional foi de 88,22 por cento”.

A reflexão incidiu sobre o índice de qualidade parcial por necessidade, desempenho por necessidade e fase do Processo de Enfermagem (PE), índice de qualidade parcial por fase do PE, e, por fim, o índice de qualidade global por serviço e institucional.

Na análise do índice de qualidade parcial por necessidade, a avaliação constatou que o índice de qualidade com desempenho excelente surge nas necessidades de respiração, alívio do sofrimento, e integridade física, exercício e mobilidade (com 97,23%, 96,26% e 91,32% respectivamente).

Com menor nível de concretização, surgem as necessidades de alimentação e eliminação (75,85% e 84,76%).

“Com um desvio padrão elevado, importa acrescentar o facto de que houve serviços que atingiram níveis de concretização óptimos (100%) e outros que necessitam de grande incremento”, refere o CHUC.

Em relação ao índice de qualidade por fases do PE, os dados revelam que se obteve um nível de concretização mais elevado na execução (97,44%) e planeamento (95,63%).

“Embora haja desempenhos excelentes de 100% em todas as fases, os dados revelam que é a fase de avaliação que apresenta um índice de qualidade mais baixo (73,86%)”, refere-se.

Para a enfermeira directora do CHUC, Áurea Andrade, “os indicadores explanados evidenciam a forma como os enfermeiros concebem, agem e avaliam a sua prática de cuidados, decorrente da sua tomada de decisão autónoma”.

A responsável considera que “as oportunidades de melhoria da qualidade só podem ser identificadas pela monitorização e avaliação da performance, e esta supõe, por sua vez, a existência de indicadores cientificamente validados e o envolvimento de todos, nos processos”.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com