Coimbra  9 de Julho de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Cheias: PSD critica Manuel Machado por não assumir “responsabilidades”

23 de Janeiro 2017 Jornal Campeão: Cheias: PSD critica Manuel Machado por não assumir “responsabilidades”

A Comissão Política Concelhia do PSD de Coimbra afirmou, hoje, que Manuel Machado, presidente da Câmara Municipal, “está apenas a tentar que não se fale das suas responsabilidades nos prejuízos sofridos, em vez de cuidar de prevenir situações semelhantes no futuro”, referindo-se ao relatório apresentado, na semana passada, sobre as cheias de Janeiro de 2016.

O PSD considera que nem tudo foi tornado público aquando da apresentação do estudo, realizado pelo Ordem dos Engenheiros e que esteve por divulgar durante meses. Na opinião da Comissão Política, é “incompreensível que tanto a Câmara Municipal de Coimbra como a Secretaria de Estado do Ambiente apenas tenham destacado, na conferência pública, a parte do estudo que confirma as suspeitas de má gestão da barragem da Aguieira”, acrescentando que foi omitida a parte que se refere ao alagamento do Convento de Santa Clara-a-Velha, uma “atitude pouco consentânea com a defesa da verdade e do interesse público”.

No relatório é explicado que os efeitos no Mosteiro poderiam ter sido minimizados caso “a porta de defesa instalada nas […] passagens inferiores” tivesse sido “devidamente fechada”. Nesse sentido, “sabendo-se que a gestão dessa ‘porta de defesa’ deve ser articulada entre a Câmara Municipal e os Serviços do Ministério do Ambiente, conclui-se que a inacção destas duas entidades foi a responsável pelos elevados prejuízos no património cultural de Coimbra e do país”, sublinha o PSD, realçando que “assumir os erros é o primeiro passo para evitar que eles se repitam”.

O Partido Social-Democrata diz, ainda, estranhar que este estudo tenha demorado cerca de um ano a apresentar conclusões, quando era algo “tão urgente”, o que desta forma dificultou “a preparação atempada de medidas de minimização de riscos de cheia em Coimbra”.