Coimbra  3 de Dezembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

 

Centro Tecnológico investe um milhão de euros no Coimbra iParque

17 de Novembro 2021 Jornal Campeão: Centro Tecnológico investe um milhão de euros no Coimbra iParque

A ampliação das instalações do Centro Tecnológico da Cerâmica e do Vidro (CTCV), no complexo Coimbra Inovação Parque (iParque), traduz um investimento de um milhão de euros e permitiu criar 10 novos empregos.

“Com a deslocalização do CTCV para o iParque, tivemos oportunidade de crescer e evoluir”, refere o director-geral do Centro Tecnológico, António Baio Dias.

Nos últimos cinco anos, o CTCV, que até 2009 funcionou na antiga cerâmica Lufapo, no Loreto, foi aumentando o número de pessoas que trabalham na instituição e que actualmente são cerca de 65, incluindo licenciados, mestres e doutores.

António Baio Dias falava a propósito da ampliação do CTCV, cujas obras são inauguradas na tarde desta quarta-feira e constituem “a última fase” de um esforço iniciado na década passada, com apoio de fundos europeus, após a mudança para o iParque, em Antanhol, arredores da cidade de Coimbra.

O novo investimento, financiado pelo programa Centro 2020, visa incrementar a actividade dirigida às áreas da indústria 4.0, robótica industrial, economia circular e eficiência energética.

Contando com o apoio do Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC), ao abrigo de uma parceria entre as duas entidades, o CTCV aposta na ligação em rede a outros centros de saber, empresas e entidades diversas, numa óptica de “valorização do conhecimento e transferência de tecnologia”.

O CTCV afirma que o ano de 2020 “decorreu num ambiente de contexto económico difícil devido à situação de pandemia”, adiantando que, “apesar de todos os constrangimentos”, o impacto da covid-19 na sua actividade “foi inferior a 10%”. “Os laboratórios mantiveram o seu funcionamento presencial, mas com algumas baixas”, acrescenta. Devido à pandemia, “não tivemos grandes sobressaltos e o nosso sector não foi muito afectado”, ressalva António Baio Dias.

Desde a deslocalização para o iParque, o investimento total financiado pelos programas operacionais do Centro ascende a nove milhões de euros, destinado “a reequipar o CTCV com a construção das infraestruturas, tendo em vista a criação de novas valências”.

No futuro, o CTCV pretende reabilitar e dinamizar as antigas instalações do Loreto, “com a instalação de um ‘hub tecnológico’, com valências de incubação, aceleração, alojamento de empresas de base tecnológica, ‘co-work’ e outros serviços de apoio às empresas como mentoria, apoio de gestão e marketing”.

Entretanto, estão a decorrer em Aveiro, até sexta-feira, as IV Jornadas Técnicas da Cerâmica, com a participação de 300 congressistas, numa iniciativa do CTCV, apoiada pela Associação Portuguesa das Indústrias de Cerâmica e de Cristalaria, Sociedade Portuguesa de Cerâmica e Vidro e Universidade de Aveiro.