Coimbra  13 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Centro de Recolha Animal da Figueira da Foz acolheu 625 animais em 2020

25 de Fevereiro 2021 Jornal Campeão: Centro de Recolha Animal da Figueira da Foz acolheu 625 animais em 2020

O Centro de Recolha Animal da Figueira da Foz (CRAFF) acolheu, em 2020, 675 animais, dos quais 160 foram recolhidos na via pública (145 cães e 15 gatos).

O vereador Miguel Pereira enalteceu o esforço e dedicação, “nestas circunstâncias de pandemia”, do Serviço Veterinário Municipal (SVM), que gere o CRAFF.

Segundo o autarca, “apesar de a taxa de abandono ter subido um pouco”, o CRAFF entregou aos donos 68 animais (66 cães e dois gatos), foram adoptados 53 e entregues a famílias de acolhimento temporário 279 (140 cães e 13 gatos).

“Há ainda a reportar a recolha de 192 animais acidentados, de 28 canídeos para efeitos de sequestro sanitário e o acolhimento de 129 animais (72 canídeos e 57 felídeos), entregues pelo detentor”, informou a Câmara Municipal da Figueira da Foz.

No que diz respeito à esterilização, Miguel Pereira frisou que, “apesar do esforço” não foi possível atingir o número esperado, tendo sido esterilizados 251 animais.

O SVM colaborou, também, na gestão da recolha e tratamento de animais marinhos arrojados na costa da área geográfica do concelho.

Para além da gestão do CRAFF, são várias as tarefas da competência do SMV, como “a inspecção higiossanitária e controlo de estabelecimentos que comercializam produtos de origem animal em geral e do PACE (Plano de Aprovação e Controle de Estabelecimentos) em particular (talhos); a captura e recolha de animais abandonados e /ou errantes no concelho; a gestão das adopções de animais, identificação animal (canídeos e felídeos) para adopção (alojados quer no CRAFF, quer na APAFF e GADAFF) e respectivos registos; campanhas de esterilização de canídeos do CRAFF e das associações, o seu controlo e respectivos registos; identificação de colónias felinas e coordenação das campanhas de esterilização e seu controlo; avaliação e procedimento administrativo de participações feitas pela PSP, GNR, SEPNA e Polícia Marítima; gestão do tratamento de subprodutos animais (incineração de cadáveres de animais de companha); recolha de cadáveres de animais da via pública e de espaços públicos e privados; execução da campanha de vacinação anti-rábica e de identificação electrónica de animais de companhia”, informou a autarquia.

Recorde-se que está prevista a construção de um novo Centro de Recolha e Tratamento Animal Municipal, freguesia de Ferreira-a-Nova. Esta obra, cujo projecto se encontra na fase das especialidades, representa um investimento de 500 000 euros.