Coimbra  8 de Dezembro de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Centro de Estudos de Bioética organiza Colóquio “Um olhar ético sobre a dor”

30 de Junho 2022 Jornal Campeão: Centro de Estudos de Bioética organiza Colóquio “Um olhar ético sobre a dor”

O Centro de Estudos de Bioética (CEB) realiza, amanhã (1), entre as 14h30 e 18h30 um Colóquio intitulado “Um olhar ético sobre a dor”, que terá lugar no Anfiteatro Tomé Pires da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra.

Segundo Carlos Costa Gomes, presidente da Direcção Nacional do CEB, a experiência da vivência da dor é sempre algo irredutível. A ciência procura respostas para o problema da dor, que por vezes é sublimada, outras, porém, sofrida e, por último, é vista como inevitabilidade. “Todo este ‘olhar’ sobre a dor deve-nos levar a compreender que precisamos de ‘olhar’ para a dor com um ‘outro saber’; ‘olhar o outro’ que vive um viver sofrido pela dor que pode ter muitos rostos e para os quais temos que, necessariamente, saber lidar com  olhares da técnica e da ciência, mas também com um olhar humano que nos interpela para uma ética de proximidade”, destaca. O mesmo responsável refere que a dor vem lembrar a presença inalienável do corpo, deste corpo sentido de dentro e ao mesmo tempo visível de fora. Os sinais de dor podem não exteriorizar-se, mas eles são vividos interiormente como se o corpo refletisse a sua presença, voltando a atenção sobre ele próprio.

Como referem Isabel e Michel Renaud, “será preciso eventualmente um grande esforço sobre si mesmo para que a pessoa consiga conviver com a dor, sem ter toda a sua atenção fixada na parte que a faz assim sofrer. O corpo é a pessoa, dir-se-á, embora na dor a pessoa sinta ao mesmo tempo que este corpo que dói não é totalmente idêntico a ela; é precisamente na dor que a pessoa sente a sua não coincidência com o corpo, com este corpo que limita os seus movimentos ou a sua atenção”.

Para abordar esta problemática, o Colóquio “Um olhar ético sobre a dor”, conta com especialistas em diversas áreas científicas.

O Painel I – “Fitando a Dor”, com a Moderação da Drª Beatriz Craveiro Lopes (Hospital Garcia da Horta), terá como oradores: Pedro Ferreira (FEUC) – “Há possibilidade de medir a dor?”; Michael Luís (IPO Porto) – “Há formas de tratar a dor?”; e Ana Sofia Carvalho (ICBAS) – “Há humanidade para tratar a dor?”.

O Painel II – “Fintando a dor”, com a Moderação da Prof. Doutora Margarida Castel-Branco (FFUC), terá como preletores: Filipe Almeida (CHSJ)  –“Quando a dor é mais do que um dói-dói”; Sofia Duque (CUF) – “Quando a dor envelhece”; e Isabel Galriça Neto (Hospital da Luz) – “Quando a dor traz más notícias e quando dói até ao fim”.

As palavras de abertura serão da responsabilidade do presidente do Centro de Estudos de Bioética, Carlos Costa Gomes e do director da Faculdade de Farmácia da UC, Fernando Ramos. O encerramento do colóquio estará a cargo de Walter Osswald, presidente da Fundação Grünenthal.