Coimbra  24 de Julho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

CDU apresenta candidatos à Câmara e Assembleia Municipal de Góis

7 de Julho 2021 Jornal Campeão: CDU apresenta candidatos à Câmara e Assembleia Municipal de Góis

A CDU apresenta como primeiros candidatos à Câmara e Assembleia Municipal de Góis José Manuel Bandeira, de 62 anos, e José Carlos Barata Fernandes, de 70 anos, respectivamente.

José Manuel Bandeira é reformado/bancário, licenciado em História, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

José Carlos Barata Fernandes, militante do PCP desde 1974, é empresário. No 25 de Abril de 1974 prestava serviço militar no Instituto de Altos Estudos Militares, como oficial de Artes Gráficas, com ligações a oficiais do MFA. A partir de 1976 assumiu funções de Director Técnico da empresa gráfica Heska Portuguesa).

Segundo a coligação que integra o PCP, “estão reunidas as condições para desenvolver e aprofundar o projecto da CDU no concelho de Góis, na base do trabalho unitário com muitos independentes, mas com uma mensagem clara: Somos naturais deste concelho e desenvolvemos trabalho há muitos anos no movimento regionalista e, sempre, Com Góis no Coração”.

De acordo cm a CDU, “o Partido Socialista tem sido ao longo dos anos o grande responsável pela situação em que se encontra gòis, dado ter sido responsável pela gestão da autarquia em todos os mandatos desde 1976, com excepção de um”.

“O despovoamento é um dos grandes problemas do concelho e apresentar esta realidade como um facto consumado, e nada fazer, é no mínimo um absurdo”, considera a CDU, acrescentando que “ao contrário do que tem sido a prática dos responsáveis pelo destino da autarquia do concelho de Góis, os candidatos da CDU comprometem-se perante o eleitorado a, contactar regularmente as populações indo ao encontro delas no dia-a-dia e não apenas quando se avizinha o acto eleitoral”.

Esta candidatura defende “a limpeza das florestas como medida de prevenção para atenuar e evitar os grandes incêndios, a defesa do património regional com destaque para os relacionados com a arqueologia e com o património natural”.

“A água é uma das questões essenciais, que não se resolve sem a intervenção das populações e muito menos nas suas costas, a agricultura familiar exige ser valorizada e o regionalismo pode ter uma maior ligação como parceiro da autarquia”, defende, entre outros aspectos, a CDU.