Coimbra  15 de Julho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Casa dos Pobres de Coimbra faz na sexta-feira o Arraial de Verão

12 de Julho 2023 Jornal Campeão: Casa dos Pobres de Coimbra faz na sexta-feira o Arraial de Verão

A Casa dos Pobres de Coimbra vai realizar na próxima sexta feira, dia 14 de Julho, o seu Arraial de Verão, um convívio dos amigos da instituição antes de férias, mas também uma forma de angariar receitas para a ampliação das instalações com a construção do novo Lar, um investimento de 2 milhões de euros.

O convívio está marcado para se iniciar às 19h00, nas instalações da Casa dos Pobres de Coimbra em S. Martinho do Bispo, tendo tendinhas de venda solidária de artesanato e de doçaria. A ementa para o jantar é apelativa, com caldo verde, sardinha assada, febras e barriguinha de porco grelhadas, sobremesas diversas e bebidas, tudo acompan hado por animação musical.

A ampliação das instalações da Casa dos Pobres de Coimbra vai criar mais uma estrutura residencial para idosos com 52 novas camas, 16 das quais para utentes portadores de demências.

Conforme referiu em Maio ao “Campeão” a presidente da Casa dos Pobres, Maria Luísa Carvalho, “a ampliação é fundamental para a diluição de custos, não só porque possibilita ter mais idosos, mas também porque será possível potencializar melhor a equipa de técnicos que têm”. Os trabalhos realizados até agora foram feitos com o dinheiro corrente da Casa e a reserva do lar tem o suficiente para apenas um ano de obra (a duração prevista é de 18 meses).

Os desafios enfrentados pela presidente são muitos, mas Luísa Carvalho classifica a falta de financiamento para a obra e a falta de camas para acolher idosos como os mais complicados actualmente. “É dramático para nós, as pessoas procuram-nos desesperadas porque não têm onde colocar os seus idosos”. As 63 camas existentes estão ocupadas e, com a Casa cheia, a lista de espera é de mais de 200 pessoas.

“Eu não tenho financiamento para uma obra que já começámos, porque candidatámos ao PARES [Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais] e não fomos aprovados. Candidatámos ao PRR [Plano de Recuperação e Resiliência] e foi deferido, mas depois não teve dotação. Além disso, não tenho camas para acolher todas as solicitações que chegam. Todas as dificuldades são superadas, mas essas ultrapassam-nos”, afirmou.

“Esta é uma Casa de causas. Nós acolhemos as pessoas mais desfavorecidas, damo-lhes os cuidados e os tratamentos iguais àquilo a que eles têm direito e a quem não tem a possibilidade de pagar”.

De entre as actividades há jogos para a estimulação cognitiva que foram criados especificamente para os idosos, o projecto “As Minhas Vivências e as Minhas Leituras”, voltado para o compartilhamento de ideias dos livros que estão a ler ou das próprias vivências, sessão semanal de cinema com direito a pipocas, jardinagem, trabalhos com uma artesã e actividades no ginásio.

Para quem não vai ao ginásio há trabalhos manuais, destinados à preparação de adereços festivos. A arte criada é usada para almoços que decorrem na 2.ª terça-feira de todos os meses, com excepção de Agosto, no âmbito do evento “Almoço dos Românticos”, e aberto a todo o público.

“Aqui dentro temos essa preocupação de que as actividades sejam o mais variadas possível, não deixando ninguém de fora”, assegura a presidente.