Coimbra  23 de Julho de 2021 | Director: Lino Vinhal

 

Casa do Cinema de Coimbra celebra mês ‘queer’

2 de Junho 2021 Jornal Campeão: Casa do Cinema de Coimbra celebra mês ‘queer’

No seu segundo mês de exibições, a Casa do Cinema de Coimbra oferece novos ciclos atendendo a uma experiência cinematográfica diferenciada. Esta casa traz à tela um conjunto de títulos de cariz patrimonial e histórico, sem esquecer a celebração do mês ‘queer’ e o combate aos estereótipos sociais.

É nessa diversidade que ao longo do mês de Junho, a Casa do Cinema tem a oportunidade de acompanhar cinco ciclos temáticos. O primeiro momento é inaugurado pelo Fila K Cineclube, com o Ciclo “A Vida é um Jogo” com curadoria e apresentação de Fernando Fausto de Almeida que leva todas as terças-feiras pela história do cinema noir anglo-saxónico entre 1947 e 1972.

Junho é ainda o mês em que se comemora o orgulho ‘queer’, sendo celebrado naquela casa com um ciclo que manifesta a fuga ao estereótipo. A selecção do Centro de Estudos Cinematográficos reúne sete filmes que promovem um conjunto diferente de olhares sobre esta comunidade, mas que em comum se tocam pela igualdade de direitos e deveres que todos devem ter na sociedade.

É uma viagem que se inaugura com o Cinema de Óscar Alves, um precursor do cinema gay português, que ainda hoje é amplamente desconhecido do grande público. Além de se expressar com um pendor experimental, a filmografia de Óscar Alves (1935–2020), exemplifica o fulgor de uma cinematografia injustamente esquecida, e que nos levanta importantes questões sobre a não continuidade de uma produção regular, em Portugal, de um cinema de expressão marcadamente ‘queer’.

A sessão de hoje além de contar com um conjunto de filmes raramente exibidos conta com a apresentação de Diogo Ribeirinha da PATH – Plataforma Anti Transfobia e Homofobia – Coimbra. Este é um ciclo internacional que reúne visões de vários constructos sociais em que a produção nacional tem outros destaques, nomeadamente com “O Fantasma”, de João Pedro Rodrigues, e “E Agora? Lembra-me”, de Joaquim Pinto.

O mês é ainda marcado pelo término do ciclo “Cinema e Exploração da Mimesis Dramática”, integrado no 2.º ciclo de Teatro e Artes Performativas da Universidade de Coimbra. Serão exibidos, a 4 de Junho, “A Vingança de uma Mulher”, de Rita Azevedo Gomes, uma adaptação livre do conto homónimo, in “Les Diaboliques” um dos mais famosos contos do francês Barbey D’Aurevilly. Esta sessão contará com apresentação e conversa pós-sessão, de Catarina Maia.

Na semana seguinte será exibido “A Promessa” de António de Macedo, baseado na peça teatral homónima de Bernardo Santareno, apresentado por Ricardo Grácio. O Ciclo é encerrado online, transmitido no Facebook, com uma conversa entre Guilherme Pompeu, Isa Craveiro e, a moderar, António Pita.

O mês de Junho inaugura ainda um ciclo que terá vários momentos ao longo do ano, concretamente o ciclo “Caravanas de Imagens: Cinema e Propaganda Política” em que será exibido, a 10 de Junho às 20h30, o filme de Rui Simões “Bom Povo Português”. Este filme procura traçar a História entre o 25 de Abril de 1974 e 25 de Novembro de 1975, tal como ela foi sentida pela equipa que, ao longo deste processo, foi ao mesmo tempo espectador, actor, participante, mas que, sobretudo, se encontrava totalmente comprometida com o processo revolucionário em curso.

Em Junho a Casa do Cinema reitera a importância de estimular hábitos de usufruto cultural junto dos mais pequenos, bem como de momentos em família. No terceiro sábado do mês, 19 de Junho às 10h45, exibe “Capitão Dentes de Sabre e o Diamante Mágico”, uma aventura com muita emoção, em que são as crianças quem convidam os seus pais a vir ao cinema.