Coimbra  13 de Junho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Cantina amarela abre no início do ano lectivo com novo conceito

13 de Fevereiro 2017 Jornal Campeão: Cantina amarela abre no início do ano lectivo com novo conceito

A famosa cantina amarela está a ser alvo de uma profunda requalificação, quer na infraestrutura, como nos serviços que irá disponibilizar à comunidade académica de Coimbra. A inauguração da nova “amarela”, que contará com um espaço mais moderno e com novo conceito, está prevista para o início do próximo ano lectivo.

O estado de degradação do espaço e dos seus equipamentos era tal que a cantina encerrou em 2013 e a Universidade de Coimbra (UC), na pessoa da ex-vice-reitora Margarida Mano, considerou ser mais eficaz proceder-se à sua remodelação completa.

“A ideia é que a cantina tivesse várias ofertas e que fosse um espaço onde os alunos se sentissem em casa, não só para fazer as suas refeições, como para estudar”, explicou Manuela Nogueira, arquitecta responsável pelo projecto de requalificação, na apresentação pública do novo conceito.

Com mais luz natural, uma esplanada na entrada das cantinas com 44 lugares e uma sala ampla no interior com capacidade para 192 pessoas sentadas, a nova cantina amarela terá, ainda, uma decoração mais moderna e, a principal novidade, um novo modelo de refeições, que poderá oferecer várias opções aos estudantes até de madrugada. Desde sopas, massas, sandwiches, até pratos vegetarianos e outros mais completos, a “amarela” disponibilizará um menu diverso, que se “adequa aos novos tempos e aos padrões de alimentação dos estudantes”, sublinhou João Gabriel Silva, reitor da UC.

Pretende-se, ainda, que este seja um espaço de e para os estudantes, com várias vertentes, além de refeitório, poderá servir como sala de leitura e de estudo. “O objectivo é que seja um espaço flexível, no qual os alunos possam agrupar-se e desagrupar-se, movimentando as mesas como entenderem, embora tenha elementos fixos que ajudem na sua organização”, adiantou Manuela Nogueira, acrescentando que numa das paredes ficará uma estante para ser usada pelos estudantes e que incluirá uma espécie de “palco” amovível.

Este que é a “realização de um sonho”, que trará “grandes mais valias para os estudantes”, segundo Regina Bento, administradora dos Serviços de Acção Social da UC, trata-se de espaço “diferente e inovador, onde se poderá comer, estudar, estar e conviver, além de ser multicultural e permitir a realização de vários eventos ao longo do ano destinados aos estudantes e que poderá ser utilizado pelas várias secções da Associação Académica de Coimbra (AAC)”.

A requalificação da cantina amarela é “o maior investimento em cantinas realizado pela UC nos últimos trinta anos” e acarreta um investimento na ordem dos 700 000 euros, suportados, na totalidade, pela Universidade.

“É uma grande aposta da UC, que se enquadra numa linha de esforço enorme para a requalificação de outras estruturas da Universidade, como o caso das residências”, referiu o reitor, concluindo que esta é uma “tentativa de reinvenção da Universidade aos hábitos e expectativas dos estudantes, que são muito diferentes de há uns anos atrás e é necessário responder a isso.

O acesso à cantina passa a ser feito exclusivamente pela rua de Oliveira Matos, através da esplanada que dará as boas-vindas aos estudantes à nova cantina amarela.

Margarida Mano, ex-vice-reitora; Manuela Nogueira, arquitecta; e João Gabriel Silva, reitor da UC

Margarida Mano, ex-vice-reitora; Manuela Nogueira, arquitecta; e João Gabriel Silva, reitor da UC, visitaram as obras da cantina amarela

Obras cantina amarela

 

Interior da cantina amarela, ainda em obras

Interior da cantina amarela, ainda em obras

 

Interior da cantina amarela depois das obras

Interior da cantina amarela depois das obras