Coimbra  28 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Cantanhede destruiu 388 ninhos de vespa asiática em 2019

8 de Janeiro 2020 Jornal Campeão: Cantanhede destruiu 388 ninhos de vespa asiática em 2019

O Município de Cantanhede conseguiu, no ano de 2019, destruir 388 ninhos de vespa asiática, num total de 666, que tem vindo a eliminar desde 2015.

O primeiro caso foi detectado, em Murtede, há mais de quatro anos e, desde aí, a autarquia cantanhedense tem investido “no reforço da resposta municipal no combate a esta espécie invasora, quer através do investimento em meios que permitiram intensificar a sua eliminação, quer melhorando os mecanismos de detecção vigilância e controlo”, revela a Câmara Municipal.

Para tal, o Município adquiriu um equipamento que “facilita significativamente a destruição dos ninhos, além de que possibilita a realização das operações durante o dia, o que não era possível com os recursos anteriormente existentes”. Trata-se “de uma arma de ar comprimido que injecta nos ninhos um insecticida/larvicida em forma de cápsulas de libertação controlada, o que permite actuar

de forma mais rápida e eficaz em todos os que são detectados e muito particularmente nos instalados em árvores ou estruturas de grande altura”, esclarece.

O veneno introduzido acaba, depois, por exterminar as colónias de vespas e larvas existentes no seu interior, “o que, na esmagadora maioria dos casos, tem tido eficácia comprovada logo na primeira visita de validação do resultado, poupando assim em recursos que antes era necessário mobilizar para uma segunda deslocação no sentido de efectuar o respectivo tratamento”.

A arma em causa, que está “devidamente licenciada pela Polícia de Segurança Pública para ser utilizada neste âmbito”, representa efectivamente grandes vantagens, mas o Município de Cantanhede “mantém operacionais todos os outros meios anteriores à sua aquisição, nomeadamente as equipas necessárias e dedicadas à eliminação de ninhos de vespa velutina, em função do número de avistamentos e ninhos a eliminar”.

A ideia é que “logo que recebem o alerta das situações, os técnicos envolvidos nesse processo efectuem uma primeira visita de reconhecimento para confirmar a localização da praga, avaliando nesse momento também qual o método mais recomendado para assegurar a sua total destruição e agendando com os proprietários dos terrenos em causa a data e a hora para efectuarem as operações”.

As operações contam com a colaboração da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários e do seu veículo auto-escada, sendo realizadas por pessoal capacitado para o efeito e devidamente protegido com equipamentos adequados e asseguradas todas as medidas de segurança necessárias para evitar colocar em risco as populações.

O processo tem vindo a ser desenvolvido de acordo com o preconizado no Plano de Acção para a Vigilância e Controlo da Vespa Velutina em Portugal desenvolvido pela Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) e pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF, I.P.), com o contributo do Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV, I.P.).

Refira-se, ainda, que, em 2019, o Município de Cantanhede beneficiou de um apoio financeiro de 10 000 euros para destruição dos ninhos de vespa velutina identificados no concelho, nos termos de uma candidatura aprovada pelo ICNF, com base no trabalho desenvolvido para o efeito pelo Serviço Municipal de Protecção Civil.