Coimbra  27 de Novembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Cantanhede avalia situação epidemiológica do concelho

13 de Novembro 2020 Jornal Campeão: Cantanhede avalia situação epidemiológica do concelho

A última actualização da evolução da pandemia de covid-19 no concelho de Cantanhede, datada de 12 de Novembro, refere que são 106 os casos de infectados activos, 285 os recuperados e 12 os óbitos do total acumulado desde o início da crise.

Estes dados foram fornecidos à autarquia pela Delegada de Saúde, Rosa Monteiro, esta quarta-feira (11), tendo sido objecto de uma análise detalhada sobre a situação em cada freguesia durante a reunião da Comissão Municipal de Protecção Civil, cuja acção neste âmbito tem passado pela monitorização rigorosa da evolução epidemiológica, bem como pela coordenação das medidas tendentes a reforçar a prevenção face ao aumento de novos casos e à possibilidade de inclusão na lista de concelhos de elevado risco de contágio.

No início da reunião, Helena Teodósio, presidente da Câmara Municipal, elogiou “o permanente acompanhamento da situação epidemiológica efectuado pela Comissão Municipal de Protecção Civil e o envolvimento activo de todas as entidades e agentes de protecção civil que a constituem”, tendo adiantado que “o Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil, activo desde declaração do estado de calamidade activo, em 03 de Maio, vai manter-se assim pelo menos até ao final do estado de emergência, ou seja, 23 de Novembro”.

Entretanto, João Paulo Rebelo, secretário de Estado da Juventude e do Desporto, telefonou à líder do Executivo camarário cantanhedense para lhe transmitir, em nome do primeiro-ministro, que o Município de Cantanhede vai integrar a lista de concelhos com risco elevado de contágio. Perante este novo dado, Helena Teodósio refere que “aguarda instruções do Governo” e sublinha “a necessidade de se acentuar a sensibilização junto da população para o cumprimento das recomendações da Direcção-Geral da Saúde, nomeadamente no que diz respeito às medidas preventivas que constam nos planos de contingência, de forma a reduzir o risco de contágio por coronavírus.

Pela sua parte, a Câmara Municipal vai intensificar a acção nesse domínio, em articulação com todas as entidades que possam trazer alguma mais valia nesse processo”, garante.

Na reunião desta quinta-feira da Comissão Municipal de Protecção Civil interveio também o director executivo do Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) do Baixo Mondego, José Luís Biscaia, que manifestou “preocupação face à crescente propagação da covid-19, que se fica a dever, fundamentalmente, à realização de convívios familiares em que não são cumpridas as regras básicas de higiene e protecção para evitar o contágio”.

Célia Simões, vereadora da autarquia cantanhedense referiu que “o aumento de novos positivos é acompanhado de um número ainda maior de pedidos de auxílio por parte das pessoas e famílias que se encontram em confinamento obrigatório e/ou profilático determinado pela Autoridade de Saúde. A responsável pelo pelouro da Saúde e Acção Social afirmou ainda “que os serviços municipais reforçaram as equipas que prestam o apoio referido, pelo que todas os munícipes e famílias que se encontrem nesta situação e ou em outra situação de fragilidade social devem contactar os serviços pela linha directa de Acção Social e Saúde (através do número  231249043)”.

Aidil Machado, presidente da União de Freguesias de Cantanhede e Pocariça e representante das juntas de freguesia do concelho declarou que “todos os presidentes de junta se encontram disponíveis e atentos para colaborar na minimização das carências e das dificuldades identificadas”.

Por seu lado, Lígia Santos, comandante do Destacamento Territorial da GNR em Cantanhede, reiterou a “necessidade de reforçar a fiscalização e sensibilização da população para as situações de risco”, manifestando “disponibilidade para incrementar e avaliar as situações pontuais de eventual incumprimento identificadas”.