Coimbra  24 de Julho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Cantanhede aprovou contas de 2020

29 de Junho 2021 Jornal Campeão: Cantanhede aprovou contas de 2020

A Assembleia Municipal de Cantanhede aprovou o relatório de gestão do Executivo camarário liderado por Helena Teodósio.

No plenário, a presidente do Município começou por mostrar os investimentos e a actividade desenvolvida pela autarquia nas várias valências das suas competências, a que se seguiu a apresentação de quadros de demonstração do desempenho relativamente aos principais indicadores económico-financeiros de um valor global executado que ascendeu a 30 528 514 euros.

Relativamente à prestação de contas, a Câmara Municipal destaca a diminuição da dívida de médio e longo prazo em 44,2%, e a de curto prazo em 4,7%; o aumento do investimento em 30,7% em relação ao ano anterior; e o prazo médio de pagamento, que se situou nos 16 dias; além de que a instituição encerrou 2020 sem dívidas a fornecedores e com as facturas de empreiteiros entradas até 31 de Dezembro todas liquidadas.

A evolução positiva da despesa de capital em 30,7% corresponde ao incremento do investimento em vários tipos de obras ou na aquisição de terrenos para as zonas industriais e outros bens de capital, rubrica que registou “uma taxa de execução financeira 5,8% acima do que estava previsto em orçamento, o que reflecte bem aquela que tem sido a opção do Executivo em reforçar a coesão territorial ao nível das infra-estruturas e dos equipamentos colectivos”, referiu Helena Teodósio.

Segundo a autarca, “houve uma aposta forte no investimento no sentido de melhorar o índice de qualidade de vida dos munícipes e de valorizar a base económica para sectores de maior valor acrescentado, neste caso proporcionando às empresas boas condições para se instalarem no concelho, o que de resto explica a grande procura que as nossas zonas industriais têm vindo a registar”.

O Executivo destaca ainda que a dívida ficou em 0,31% da média da recita corrente dos últimos três anos, quando o limite máximo admitido por lei é de 1,5% dessa média, “configurando assim uma situação bastante favorável, e mais ainda se se considerar que houve necessidade de fazer várias alterações orçamentais para dar resposta às exigências criadas pela pandemia de covid-19”, disse a autarquia.

Além do aumento de 137% e 46,6% nas rubricas da saúde e da acção social em relação ao ano anterior, para o combate ao surto epidemiológico e apoio à população socialmente mais fragilizada, a Câmara Municipal prescindiu valor de receita associada às isenções de taxas para determinados sectores bastante afectados pela crise epidemiológica, o que se reflectiu na redução de 4% da taxa de execução do orçamento da receita, que se ficou pelos 90%, face aos 94% de 2019.

 

Presidente do Município propõe voto de louvor a António Guterres

A presidente do Município de Cantanhede, Helena Teodósio, apresentou à Assembleia Municipal a proposta que vai submeter à votação do Executivo para que seja aprovado “um voto de louvor ao Engenheiro António Guterres”.

A proposta desta distinção deve-se à recondução de Guterres como secretário-geral das Nações Unidas.

O texto refere que “a recondução do Engenheiro António Guterres num dos cargos de maior prestígio internacional confirma o reconhecimento da sua acção como estadista e activista defensor das grandes causas humanitárias e ambientais, qualidades que resto evidenciou claramente no seu primeiro mandato”, e que “a sua experiência política, a vocação de diplomata, a capacidade de diálogo e de gerar consensos e a luta pelos direitos humanos são traços vincados dessa carreira em que pontificam funções de relevo a nível nacional e internacional”.

Por outro lado, são referidos os grandes desafios enunciados pelo secretário-geral das Nações Unidas, nomeadamente “a evolução da natureza dos conflitos e a probabilidade de futuras pandemias e outros riscos existenciais, as mudanças climáticas, a perda de biodiversidade e a poluição ambiental”, assim como “o declínio dos direitos humanos, a falta de regulamentação no ciberespaço e uma divisão digital crescente”.

Por fim, é destacada no texto “a confiança que demonstrou na sua declaração de compromisso sobre o papel da organização que lidera no consenso multilateral, o que faz dele fiel depositário da esperança do mundo relativamente a alguns dos problemas globais que subsistem”.