Coimbra  4 de Dezembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Câmara de Coimbra vota alterações do projecto do novo Parque Municipal de Skate

20 de Novembro 2021 Jornal Campeão: Câmara de Coimbra vota alterações do projecto do novo Parque Municipal de Skate

A Câmara Municipal (CM) de Coimbra vai analisar e votar, na sua reunião da próxima segunda-feira, uma proposta para alteração do projecto de execução, respectivos trabalhos complementares e prorrogação do prazo de construção do novo Parque Municipal de Skate de Coimbra.

A empreitada foi consignada a 9 de Julho deste ano, porém, no decorrer da obra a E-Redes levantou condicionamentos que inicialmente não assinalou em fase de projecto, relativamente a cabos de alta tensão enterrados. A necessidade de alteração ao projecto vai levar a trabalhos complementares com o custo de 15.475 euros e uma prorrogação no prazo de execução de 23 dias, a que acresce o prazo de suspensão dos trabalhos.

A CM Coimbra vai dar seguimento à construção do novo Parque Municipal de Skate, que irá nascer sob o viaduto da ponte Rainha Santa Isabel, na margem direita do rio Mondego, que está suspensa há cerca de três semanas, desde 22 de Outubro.

Numa fiscalização à obra, a E-Redes levantou novos condicionamentos que inicialmente não assinalou, relativamente à obrigatoriedade da servidão a cabos de alta tensão enterrados onde o projecto contemplava a existência de elementos da pista em betão armado.

O objectivo da Câmara é que este novo espaço providencie uma oferta de excelência para os jovens de Coimbra e dos concelhos vizinhos, garantindo-lhes uma alternativa saudável para a ocupação dos seus tempos livres com atividade ao ar livre. Com a inclusão do skateboarding nas modalidades desportivas olímpicas, esta prática ganha cada vez mais adeptos. A autarquia entendeu, por isso, ser importante a criação de estruturas e equipamentos para a prática desta modalidade em todas as suas vertentes, lúdica ou de competição, e o projecto do novo Parque Municipal de Skate, elaborado pela empresa “Conceito Radical – Extreme Sports Unipessoal, Lda.”, já teve isso em consideração.

O projecto inclui a vertente desportiva nos diversos níveis de progressão, evolução e complexidade da modalidade, possibilitando a prática a todos os atletas, desde os iniciantes até ao nível competitivo de excelência. O recinto divide-se, para isso, em quatro zonas. A zona 1 é destinada a quem está a ter o primeiro contato com a modalidade, na disciplina de street e bowl. A zona 2 é de iniciação ao street skate, com uma quadra para o nível iniciante. Já a zona 3 é para street skate avançado e é composta por duas quadras distintas, que representam dois níveis de progressão, sendo a quadra mais elevada desenvolvida para enquadramento competitivo nacional, isto é, para servir de palco, por exemplo, ao Campeonato Nacional de Skate, na vertente street. A zona 4 é destinada à disciplina de bowl, apresentando diversos níveis de dificuldade integrada e podendo servir de palco às competições nacionais na vertente parque.

A empresa Infraestruturas de Portugal, S.A., responsável pela ponte Rainha Santa Isabel deu parecer favorável para a sua execução, considerando que não existem impedimentos ao projecto.