Coimbra  12 de Junho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Câmara de Coimbra reabilita 21 habitações do Bairro da Fonte do Castanheiro

26 de Maio 2024 Jornal Campeão: Câmara de Coimbra reabilita 21 habitações do Bairro da Fonte do Castanheiro

O Executivo da Câmara de Coimbra vota, segunda-feira, a adjudicação da reabilitação de 21 habitações do Bairro da Fonte do Castanheiro à empresa Conway, Lda., pelo valor de 2,9 milhões de euros, ao qual acresce o IVA, com um prazo de execução de 420 dias.

O processo foi espoletado a 3 de Julho do ano passado, com o lançamento deste concurso, que, juntamente com a empreitada de recuperação de 33 habitações – consignada a 16 de Agosto de 2023 por mais de 5 milhões de euros -, vai permitir reabilitar a totalidade do bairro, num investimento total superior a 8 milhões de euros.

A Câmara de Coimbra aprovou, na reunião de 3 de Julho de 2023, a proposta de abertura de um concurso público para esta empreitada. Na sequência desse procedimento foram recepcionadas cinco candidaturas, das quais quatro foram consideradas válidas.

De acordo com os critérios de adjudicação, o júri procedeu à ordenação das propostas admitidas e após o envio do relatório preliminar aos concorrentes para efeitos de audiência prévia segue-se a proposta de adjudicação da empreitada à Conway, Lda, “com a pontuação mais alta (mais baixo preço e prazo) e se encontrar nas condições legais e formais exigidas”, pode ler-se na informação dos serviços municipais.

Esta empreitada no Bairro da Fonte do Castanheiro, junto à Arregaça, na Freguesia de Santo António dos Olivais, implica, orçamentalmente, compromissos financeiros para este ano de 1,6 milhões de euros e, para 2025, de 1,3 milhões de euros.

A empreitada vai decorrer em duas fases, de 210 dias cada. Na primeira vão ser recuperadas 11 habitações, das quais seis devem ficar concluídas 30 dias antes do prazo limite de conclusão da respectiva fase e as restantes no prazo limite de conclusão da fase, para assim se poder realojar arrendatários e a empreitada não sofrer interrupção. E, na segunda fase, serão reabilitadas as restantes 10. De referir, ainda, que, no âmbito desta obra, vai ser necessário executar infra-estruturas de apoio nas ruas 13 de Maio e do Mondego.

Na mesma reunião do Executivo vai também ser debatida a proposta de indicação por parte do Município do gestor do contrato, que terá a função de acompanhar permanentemente a execução dos trabalhos.