Coimbra  16 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Câmara de Coimbra quer ouvir população sobre as prioridades na área da saúde

30 de Março 2021 Jornal Campeão: Câmara de Coimbra quer ouvir população sobre as prioridades na área da saúde

A Câmara Municipal (CM) de Coimbra continua a elaborar a Estratégia Municipal de Saúde, um documento que irá definir prioridades para a promoção da saúde, do bem-estar e da qualidade de vida dos munícipes. É nesse contexto que a autarquia vai realizar um ciclo de sessões participativas online, nos dias 06, 07 e 08 de Abril, pelas 21h00, que envolverá todas as freguesias do concelho, com o objectivo de ouvir o que a população tem a dizer sobre esta temática e reunir os seus contributos.

As sessões são dirigidas a todos os munícipes residentes no concelho e os interessados deverão inscrever-se na sessão da sua freguesia, preenchendo o formulário online: https://bit.ly/3tON2Yo.

Recorde-se que o processo de elaboração da Estratégia Municipal de Saúde, um documento que servirá como instrumento de planeamento estratégico neste domínio, teve início em Março de 2020, ainda antes da pandemia da covid-19, e está a ser realizado por uma equipa de investigação do CEGOT da Universidade de Coimbra, a quem a autarquia adquiriu o serviço, sendo coordenado cientificamente por Paula Santana e politicamente pela vereadora Regina Bento, que tem competências delegadas nesta área pelo presidente Manuel Machado.

Ora, a elaboração da estratégia é precedida pela definição do Perfil Municipal de Saúde, que já está concluído, apesar de se ter prolongado mais do que o previsto inicialmente, devido aos constrangimentos que a evolução da pandemia provocou, sobretudo, na parte da realização de inquéritos à população sobre saúde e bem-estar no concelho. Este documento, que tem mais de 300 páginas, fornece um retrato do estado de saúde da população residente (que saúde tem, de que doenças sofre, de que causas morre) e das condições dos lugares de residência que influenciam a saúde e o bem-estar (onde e como vive, a que recursos tem acesso).

A equipa de investigação do CEGOT reuniu um vasto conjunto de dados sobre a saúde no concelho, analisou os questionários que realizou à população, procurando perceber quais as áreas prioritárias de intervenção por freguesia, e realizou depois uma sessão, em Outubro passado, para ajudar a traçar o referido perfil.

O documento foi, então, apresentado, no passado dia 15 de Março, ao Conselho Municipal de Saúde de Coimbra, que reuniu no Convento São Francisco. O estudo deixou evidente que importa reduzir o impacto da hipertensão, obesidade e diabetes nos munícipes, já que são essas as principais causas de morbilidade no concelho. “A Saúde deve e tem de ser uma prioridade de todos, pelo que assumimos o desafio de colocar a saúde no centro de todas as políticas autárquicas, transformando a nossa bela e encantada cidade, tornando-a mais inclusiva e saudável, para que que possa ser fruída e usufruída pelos jovens de todas as idades”, destaca o presidente da autarquia, Manuel Machado, na mensagem introdutória do Perfil Municipal de Saúde.

O CMSC é um órgão consultivo, criado pela CM Coimbra, destinado a promover a articulação e cooperação entre as várias entidades, locais, regionais e nacionais que operam no âmbito da saúde, de forma a facilitar uma abordagem integrada no planeamento e na construção da Estratégia Municipal de Saúde. A criação do CMSC surge na sequência da transferência de competências na área da saúde para a autarquia, concretizada no decreto-lei n.º 23/2019, e reveste-se da maior importância para o desenvolvimento da actuação da CM Coimbra no domínio da saúde.

“O Conselho Municipal de Saúde de Coimbra, enquanto estrutura consultiva no domínio da saúde, proporcionará ao Município de Coimbra uma intervenção estrategicamente concertada e democraticamente participada entre o poder político nacional, regional e local, os diversos sectores sociais e da saúde, sociedade civil e forças vivas da comunidade, contribuindo para uma abordagem integrada na construção de uma Estratégia Municipal de Saúde e na definição de uma política municipal de saúde.”, lê-se no preâmbulo do regimento do CMSC.

São também atribuições deste órgão, de acordo com a mesma legislação, propor programas de promoção de saúde e prevenção da doença, fomentar a troca de informações e cooperação entre as entidades neles representadas e analisar o funcionamento dos estabelecimentos de saúde integrados no processo de descentralização de competências, entre outras.