Coimbra  21 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Câmara de Coimbra inicia limpeza da Mata da Geria

20 de Julho 2021 Jornal Campeão: Câmara de Coimbra inicia limpeza da Mata da Geria

A Câmara Municipal (CM) de Coimbra vai avançar com a primeira intervenção na Mata da Geria, que passa pela limpeza inicial do estrato herbáceo, arbustivo e arbóreo, com vista à preservação e manutenção do habitat da mata ribeirinha.

Esta intervenção é considerada urgente, tendo em consideração que a manutenção da área total dos 29 hectares não tem vindo a ser efectuada com a frequência necessária, tendo o coberto arbustivo invadido grande parte da mata, que se encontra repleta de espécies infestantes e invasoras em exponencial crescimento e povoamento.

Além disso, o estrato arbóreo de grande porte também se encontra em mau estado vegetativo e fitossanitário, com a elevada probabilidade de rutura de ramos e penadas secas, existindo ainda espécies mortas que também têm de ser eliminadas. Um cenário que precisa de ser alterado com urgência, já que constitui um risco para o segurança dos utilizadores.

Este trabalho inicial é o mais específico e delicado, pois está em causa a preservação de todo um habitat com características especificas no domínio ribeirinho, no que diz respeito à fauna e flora, e ao conhecimento de todas as espécies que importa manter, sendo essencial uma dedicação, conhecimento e experiência em intervenções desta ordem, pelo que o trabalho será realizado por uma empresa especializada. A intervenção integra, no seu global, uma estratégia de melhoramento do espaço e a sua preservação sustentada, tendo em conta factores paisagísticos, conservação da natureza, segurança, lazer, recreio e actividades desportivas, assentando em dois momentos distintos: nesta primeira intervenção e na manutenção anual da Mata da Geria. O prazo de execução desta operação é de três semanas.

Recorde-se que a CM Coimbra e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) assinaram, no mês de Abril, um protocolo para a cedência, à autarquia, dos terrenos da Feira dos 7 e 23, do Centro Hípico, da Mata da Geria e de troços de estradas marginais. A formalização deste acordo permite que a CM Coimbra avance agora com a realização de intervenções de melhoramento, designadamente a requalificação do recinto da Feira dos 7 e 23, a construção de um percurso pedonal e ciclável na margem direita do Mondego que atravessa a Mata da Geria até ao limite do concelho, bem como a recuperação da própria mata e de estradas na margem do rio e a criação de um centro educativo ambiental.

A autarquia vai, assim, avançar com a criação de uma nova ciclovia, de 18km, que terá início junto à actual estação ferroviária de Coimbra B e ao futuro interface de Coimbra-Norte e segue, em canal próprio, ao longo da via paralela ao leito periférico direito (vala Real ou vala do Norte), pela Mata da Geria, num percurso pela natureza. O trajecto prossegue pelo caminho agrícola existente até S. Martinho de Árvore, já no limite do concelho de Coimbra, tirando partido de toda a beleza e envolvente natural. A este traçado de 14km acrescem as ligações previstas à Adémia, Cidreira, Geria, S. João do Campo, S. Silvestre e Quimbres, que somam mais 4km, perfazendo um percurso total de 18km de via ciclável.

Esta nova ciclovia, que irá atravessar a Mata da Geria, pretende ligar as diversas localidades pela margem direita do Mondego, ao longo da EN111, à rede já existente de 20km. E vai ainda somar aos mais de 11km que estão previstos serem executados do Açude-Ponte até ao concelho de Montemor-o-Velho, pela margem esquerda junto à estrada do Campo, onde se irá ligar ao restante percurso ciclável até à costa atlântica na Figueira da Foz; à ligação de 1,3km de ciclovia entre o Açude-Ponte e Bencanta; e, posteriormente, à ciclovia que será criada na estrada de Eiras.

Contabilizando estes percursos, Coimbra vai passar a ter, em breve, 50km de ciclovias totalmente interligadas entre si, sendo possível aceder desde a zona periurbana à zona urbana e aos principais locais de destino das viagens, onde se incluem hospitais, faculdades, escolas, centros de comércio e serviços, e equipamentos desportivos.