Coimbra  8 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Câmara de Coimbra cede alojamento a profissionais de saúde do Hospital Militar

27 de Janeiro 2021 Jornal Campeão: Câmara de Coimbra cede alojamento a profissionais de saúde do Hospital Militar

O Hospitalar Militar de Coimbra abriu, esta semana, como Estrutura de Apoio e Rectaguarda, num acordo que junta também a Cruz Vermelha e a Câmara de Coimbra, autarquia que oferece alojamento gratuito na cidade aos recursos humanos afectos a esta unidade.

Esta cedência de alojamento para os profissionais de saúde que não possuam habitação fixa no concelho de Coimbra, ou nos municípios adjacentes, é parte integrante do protocolo de colaboração entre o Município de Coimbra e a Cruz Vermelha Portuguesa, que recruta os recursos humanos.

Assim, “a Câmara assume os encargos correspondentes ao alojamento dos profissionais de saúde que vêm trabalhar nesta Estrutura de Apoio de Retaguarda no antigo Hospital Militar”, tendo o acordo sido assinado hoje, mas tem efeitos desde segunda-feira (25), terminando “no dia seguinte à desativação da Unidade de Retaguarda Hospitalar – Estrutura de Apoio de Retaguarda”, revela a autarquia conimbricense.

Os profissionais de saúde estão alojados em hotéis da cidade, uma forma de também ajudar a hotelaria conimbricense nesta fase difícil que atravessa.

“A instalação desta estrutura, graças à disponibilização pelo Exército para a acolher no Centro de Saúde Militar de Coimbra, assume uma relevante importância no contexto do combate à pandemia covid-19, mediante cooperação conjugada de diversas entidades das áreas da Saúde, da Segurança Social e da Protecção Civil, servindo Coimbra e sua região”, nota o Município.

Hospital Militar de Coimbra com capacidade de até 60 camas no apoio à pandemia

A estrutura de apoio e retaguarda instalada no Hospital Militar de Coimbra terá uma capacidade que pode chegar às 60 camas para doentes com covid-19, afirmou hoje o secretário de Estado Adjunto e da Saúde.

A unidade já instalada no Hospital Militar de Coimbra tem de momento 31 camas para doentes com covid-19, 21 destas com rampas de oxigénio, tendo uma “capacidade de expandir até às 60 camas”, disse António Lacerda Sales, que visitou hoje aquela estrutura, tendo também estado presente o coordenador para a covid-19 na região Centro e secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo.

Segundo o membro do Governo, a unidade já está a receber utentes, estando preparada para acolher “doentes de média e baixa complexidade”, infectados com covid-19.

“Coimbra tem uma estrutura pública boa e agora surgiu esta estrutura que vai ser muito útil”, salientou.

Questionado sobre o porquê de não serem já asseguradas as 60 camas, o secretário de Estado realçou que essa é uma decisão dos órgãos directivos, nomeadamente da Administração Regional de Saúde do Centro e do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra.

“Temos sempre capacidade de nos ir reinventando nesse limite, para criar expansibilidade da rede. Esta é mais uma alternativa e garantidamente que, se órgãos directivos assim o entenderem, serão abertas as restantes camas”, salientou.

O presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, sublinhou que esta estrutura de retaguarda funciona de forma complementar, salientando a conjugação de esforços entre as diversas entidades para assegurar “mais este ponto de apoio”.

“O que interessa hoje é combater a pandemia, como é exemplo este trabalho”, disse o autarca, também presente na visita.

Manuel Machado avançou, ainda, que o Município já disponibilizou o Pavilhão Multidesportos Mário Mexia como centro para vacinação em massa, quando essa fase arrancar.

“Tem boa localização, boas acessibilidades e reúne as condições técnicas”, acrescentou.