Coimbra  24 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Câmara de Coimbra apoia sete associações culturais com mais de 43 mil euros

16 de Agosto 2021 Jornal Campeão: Câmara de Coimbra apoia sete associações culturais com mais de 43 mil euros

O Executivo da Câmara Municipal (CM) de Coimbra vai analisar e votar, na sua reunião de hoje, oito propostas de atribuição de apoios financeiros pontuais a sete associações culturais do concelho, no valor global de 43.500 euros. Os apoios vão ser concedidos à Associação Há Baixa (neste caso, para dois projectos distintos), à Mus.Mus.Cbr – Associação Cultural Museu da Música de Coimbra, à Associação Cultural e Recreativa de Coimbra, à Casa da Esquina, ao CeReAc – Centro de Recreio e Animação Cultural de Brasfemes, à Aplausos Completos – Associação e à CAPC – Círculo de Artes Plásticas de Coimbra.

As propostas prevêem a atribuição de apoios financeiros pontuais às sete colectividades no âmbito do novo Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo Cultural, que entrou em vigor em Dezembro de 2019 e define critérios de rigor, transparência e isenção para a atribuição de apoios aos agentes culturais do concelho, com o objectivo de valorizar o trabalho produzido pelo tecido associativo do município no domínio da cultura. As candidaturas para 2021 ao Apoio Financeiro Municipal à Actividade Pontual, previstas no regulamento, estiveram abertas entre os meses de Janeiro e Julho.

A Associação Há Baixa foi uma das que apresentou candidatura e, neste caso, para dois projectos distintos. A associação requereu apoio na coorganização da exposição “Admirável Mundo Novo”, que irá decorrer nos próximos dias 9 e 10 de Outubro, na antiga fábrica da Sociedade de Porcelanas de Coimbra. Um evento que reúne trabalhos de 52 artistas das mais diferentes áreas, tais como pintura, escultura, fotografia, música, vídeo e performance. A Há Baixa vai receber um apoio de 2.500 euros para esse projecto. Já para a realização do web documentário “CIDADE (in) VISÍVEL”, a autarquia concedeu um apoio de 2.000 euros à associação, ao abrigo do Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo Cultural.

Já a Mus.Mus.Cbr. vai receber um apoio de 2.500 euros para a realização da primeira edição do Festival de Guitarrinho de Coimbra, que vai decorrer no fim-de-semana de 30 e 31 de Outubro, nos claustros do Colégio da Graça, e visa a divulgação do cordofone, que caiu em desuso a partir do segundo quartel do século passado. Por sua vez, a Associação Cultural e Recreativa de Coimbra vai receber um apoio de 1.500 euros para a realização do projecto “Coimbra – Viagens Musicais”, que inclui um festival de concertinas, um encontro de tunas, uma mostra de danças modernas, um concerto de um grupo de cavaquinhos e a festa de aniversário da associação, eventos esses marcados para os últimos quatro meses do ano.

A Casa da Esquina também solicitou apoio financeiro à Câmara de Coimbra para a realização do projecto “Crianças em Acção”, que visa sobretudo a criação de hábitos culturais junto das camadas mais jovens da população. O apoio a atribuir à Casa da Esquina é de 6.500 euros. Já o CeReAc vai receber 2.000 euros para ajudar na realização do projecto “Listas de Futuro(s)”, que dá continuidade ao projecto “Inventário de Memórias” e que reúne a comunidade em torno da mesma causa, na procura de memórias e vivências. O projecto deverá ter início entre Setembro de 2021 e término em Novembro de 2022.

Já a associação Aplausos Completos vai receber 1.500 euros para a realização do projecto “Canta-me um conto em Coimbra”, a decorrer entre Setembro de 2021 e Janeiro de 2022. Por último, o CAPC vai receber um apoio de 25.000 euros para a concretização do projecto Momento Zero – “Quando a noite se aproxima”, que agrega os trabalhos preparatórios para a realização da bienal de arte contemporânea de Coimbra, que este ano assumirá um novo formato, com uma programação repartida entre 2021 e 2022.

Recorde-se que o CAPC realiza desde 2015, em parceria com a Câmara Municipal e a Universidade de Coimbra, a Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra – Anozero, que nesta quarta edição se constrói sob a designação “Meia-Noite” – Anozero’ 21/22 e pretende resgatar as periferias para o centro, sejam elas sociais, urbanas, territoriais ou referentes a grupos minoritários, excluídos ou sem voz activa.