Coimbra  23 de Julho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Câmara de Coimbra adquiriu imóvel na Praça do Comércio

10 de Julho 2024 Jornal Campeão: Câmara de Coimbra adquiriu imóvel na Praça do Comércio

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra, José Manuel Silva, formalizou a escritura para a aquisição de um imóvel na Praça do Comércio.

Com um investimento de 603 mil euros, a Câmara de Coimbra pretende que este espaço sirva para a instalação de empresas, a criação de espaços de cowork e, ainda, para acomodação de comércio no rés-do-chão.

O imóvel, situado na Rua Eduardo Coelho, 112, em plena Baixa (União das Freguesias de Coimbra), tem 200 metros quadrados. A proposta de aquisição foi aprovada na reunião do Executivo de dia 27 de Maio e o edifício insere-se no Plano Estratégico de Reabilitação Urbana, parte integrante da Área de Reabilitação Urbana (ARU) Baixa, e vai ser objecto de uma refuncionalização, de modo a dinamizar a actividade comercial.

O rés-do-chão e a cave serão destinados a actividades comerciais e os restantes andares recuperados para espaços abertos de escritório/cowork com a finalidade de receber empresas que se queiram instalar na Baixa, “dentro de um enquadramento de dinamização e de revivificação da actividade empresarial na Baixa, podendo estar ligada ao comércio ou a outras actividades económicas, nomeadamente no âmbito de startups, de novas tecnologias e gestão global”, como se pode ler no despacho do presidente da Câmara Municipal, José Manuel Silva, datado de Novembro de 2022.

Para a aquisição deste imóvel, o Município utilizou fundos externos, devidamente previstos no procedimento para Contratação de Empréstimo a Médio e a Longo Prazo-2023, aprovado por deliberações da Assembleia Municipal de 29 de Junho de 2023 e de 10 de Maio de 2024, com visto do Tribunal de Contas, comunicado a 13 de Maio de 2024.

O prédio está situado na Zona de Protecção da Igreja de Santiago, na Zona Especial de Protecção da Universidade de Coimbra – Alta e Sofia e na respectiva Zona Especial de Protecção e na Área de Reabilitação Urbana Coimbra Baixa, pelo que a Direcção Regional de Cultura do Centro pronunciou-se, previamente, quanto à intenção em exercer o seu direito de preferência, tendo dado resposta negativa.

“Esta medida junta-se, assim, às várias iniciativas imprimidas pelo actual Executivo, no âmbito no Plano Marshall para a Baixa de Coimbra, de forma a dinamizar e a revivificar esta importante e nobre zona da cidade”, refere o Município.