Coimbra  24 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Câmara afirma que aeródromo está encerrado para obras

4 de Junho 2019

Após ter sido revelado, ontem (03), que o Aeródromo Municipal de Bissaya Barreto foi formalmente encerrado pela NAV (Navegação Aérea de Portugal), a Câmara Municipal de Coimbra vem esclarecer que tal facto se deve a obras.

As intervenções a executar deverão ser realizadas durante “um período que se prevê breve”, esclarece o Município, dando a garantia de que, ainda assim, funcionam “os voos humanitários, da Protecção Civil, emergência médica e SAR (busca e salvamento)”.

Segundo a autarquia conimbricense, no Aeródromo “estão em curso, nomeadamente, operações de desobstrução e de limpeza das faixas de segurança da pista; e de requalificação da vedação”.

“É, por isso, falso que o Aeródromo Municipal tenha sido encerrado por razões de segurança, estando inclusive em curso um processo de licenciamento, pela Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), que classificou o assunto como prioritário”, sublinha, rejeitando as críticas feitas, durante a tarde pelo PSD de Coimbra, que acusou Manuel Machado de mentir e de fazer “uma promessa falsa”, além de “desinvestimento e desleixo” naquele local.

O investimento feito anualmente no espaço é de cerca de 300 000 euros, assegura o executivo, dando conta de que “em 2019, o Aeródromo Municipal foi uma prioridade para a Câmara Municipal

de Coimbra”. Acrescem, depois, outros investimentos “desencadeados nos últimos meses, através de procedimentos de contratação pública”, dando como exemplo a “a total delimitação do perímetro do Aeródromo Municipal, aguardada desde 2003, ponto fundamental no que respeita à segurança das operações, com a colocação na totalidade da sua extensão de rede de vedação, com farpado de três fios”.

Além disso, e após a destruição provocada pela tempestade ‘Leslie’, “e pelo desinvestimento a que foi sujeito durante a primeira década deste século, acrescentando que foi adquirida uma manga de segurança, importada de Inglaterra, “com as características específicas exigidas pela Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO), por cerca de 8 000 euros, que deverá ser instalada na semana em curso”.

Adianta, ainda, que será efectuada a reparação e substituição da cobertura do edifício (composta, em grande parte, por amianto), cujo prazo para entrega de propostas terminou ontem (03), e lançado o procedimento de contratação pública para o projecto para a requalificação da aerogare, recepção de passageiros e a requalificação da torre de controlo.

A Câmara de Coimbra informa, também, que na infraestrutura aeroportuária estão já a ser instalados os meios logísticos operacionais para acolher mais de duas dezenas de militares da GNR (GIPS), que vão operar a partir de Coimbra para toda a região.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com