Coimbra  16 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

BE preocupado com possível campo de golfe em Coimbra na margem do Mondego

27 de Março 2021 Jornal Campeão: BE preocupado com possível campo de golfe em Coimbra na margem do Mondego

Deputados do Bloco de Esquerda questionaram o Governo sobre terraplanagem de um terreno junto ao rio Mondego, salientando os riscos ambientais com a possibilidade de criação de um campo de golfe naquele local, foi hoje (27) anunciado.

A pergunta, endereçada ao Ministério do Ambiente e da Acção Climática, chama a atenção para os trabalhos de terraplanagem de um terreno situado entre a ponte da Portela e a praia fluvial do Rebolim, na margem direita do rio Mondego, o que resultou “no abate de um vasto conjunto de árvores e arbustos”.

“A presença de vegetação nas margens dos rios contribui para a atenuação dos efeitos da subida das águas. Nesse sentido, a destruição do coberto arbóreo e arbustivo das zonas ripícolas desprotege as populações que residem nas zonas mais próximas, tornando-as mais vulneráveis a cheias”, alertam os deputados José Manuel Pureza, Nelson Peralta e Maria Manuel Rola, que assinam o documento.

O Bloco de Esquerda “vê com muita preocupação este acto de destruição de árvores e arbustos na margem direita do Mondego e entende que devem ser prestados todos os esclarecimentos sobre o seu real objectivo”.

Os deputados bloquistas dão também nota de que a Câmara de Coimbra assumiu que há contactos para a criação de um campo de golfe junto ao rio Mondego, destacando os riscos ambientais da sua instalação, face ao uso excessivo e desperdício de água, consumos elevados de produtos fitofarmacêuticos que contaminam solos e linhas de água, bem como a deposição maciça no ambiente de bolas de golfe cuja composição contém elementos tóxicos”.

“Importa esclarecer se a área terraplenada, ou parte dela, está sujeita a regime especial de protecção e se se encontra inserida em área de Reserva Ecológica Nacional. A delapidação do património natural é inaceitável, ainda mais quando aparentemente feita em nome de interesses de promotores de actividades de lazer para segmentos sociais muito limitados”, lê-se no documento.

Nesse sentido, os deputados perguntam ao Governo se tem conhecimento da situação, como avalia a terraplenagem e destruição do coberto vegetal e se a área terraplenada ou parte dela integra o domínio público hídrico.

Na sexta-feira, o presidente do Município de Coimbra, Manuel Machado (PS), garantiu que a intervenção que está a ser efectuada na margem direita do Rio Mondego na zona da Portela é legal e visa eliminar espécies infestantes e remover resíduos.

Já na segunda-feira, o vice-presidente da Câmara de Coimbra, Carlos Cidade, tinha confirmado que tem mantido contactos com a Federação Portuguesa de Golfe (FPG) para a construção de um campo de golfe junto ao rio Mondego.