Coimbra  11 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Barro Preto de Olho Marinho é o primeiro a obter certificação em Poiares

29 de Abril 2021 Jornal Campeão: Barro Preto de Olho Marinho é o primeiro a obter certificação em Poiares

O processo de certificação do Barro Preto de Olho Marinho, em Vila Nova de Poiares, está concluído, tendo o momento sido assinalado, ontem (28), nos Paços do Concelho, com a entrega de certificado ao oleiro Fernando Correia.

Esta certificação, promovida pelo Município de Vila Nova de Poiares, trata-se da primeira no país no que diz respeito a olaria preta e este é um dos 16 primeiros produtos nacionais de artesanato a receber o selo de autenticidade da “A.Certifica”, o único organismo que se dedica à certificação de produções artesanais tradicionais.

“Com este processo é possível garantir a qualidade e a autenticidade da produção artesanal da olaria de Barro Preto de Olho Marinho, o que lhe confere valor e, consequentemente, pode ser um contributo para que esta arte continue viva no nosso concelho, afirmando-se como um dos ex-libris do nosso património material e imaterial”, afirmou João Miguel Henriques.

A etiqueta número um certificando que se trata de uma peça de Barro Preto foi, “como não podia deixar de ser, atribuída a um caçoilo, instrumento imprescindível nas cozinhas, nomeadamente por ser nele que é confeccionado o prato de excelência da gastronomia de Vila Nova de Poiares, a chanfana”, afirmou o presidente da Câmara Municipal.

Refira-se que, neste momento, está também em curso um processo de certificação de outra unidade de produção artesanal relacionada com o Barro Preto, nomeadamente a oleira Judite Pereira, artesã do Centro Difusor de Artesanato da ADIP (Associação de Desenvolvimento Integrado de Poiares), e que a par de Fernando Correia são as únicas pessoas que se dedicam a esta arte no concelho.

Para o Município de Vila Nova de Poiares, “a certificação vem reforçar a identidade local através da valorização e requalificação dos recursos endógenos, proporcionando a dinamização de actividades de promoção e divulgação em torno do património local (seja ele material, imaterial ou gastronómico), e afirmando-se como a impulsionadora da recuperação, requalificação e desenvolvimento da actividade artesanal”, referiu João Miguel Henriques.

Recorde-se que a Câmara Municipal tem desenvolvido diversas iniciativas com o intuito de alcançar os objectivos referidos, entre os quais se destaca desde logo a presença na Associação Portuguesa de Cidades e Vilas de Cerâmica (APTCVC), sendo um dos seus municípios fundadores, ou ainda o documentário “Barro Preto, Cultura e Tradição”, onde é feito um retracto do passado, presente e futuro desta arte em Vila Nova de Poiares.

De referir que nesta sessão estiveram presentes os dois oleiros do concelho, Fernando Correia e Judite Pereira; o presidente da Câmara Municipal, João Miguel Henriques; a vereadora da Cultura, Lara Henriques de Oliveira; Teresa Costa da “A.Certifica”; Graça Ramos, da Associação Portugal à Mão; Fernando Gaspar, da CEARTE; e Paula Urbano, subdelegada regional a representar a Delegação Regional do Centro do IEFP.