Coimbra  29 de Novembro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Balcão Único do Prédio já abriu na Figueira da Foz

21 de Maio 2021 Jornal Campeão: Balcão Único do Prédio já abriu na Figueira da Foz

A Câmara Municipal da Figueira da Foz iniciou a implementação do Sistema de Informação Cadastral Simplificado, através da instalação de um balcão de atendimento – Balcão Único do Prédio (BUPi).

Este balcão, que também pode ser usado de forma virtual, está em funcionamento no n.º 196 da rua Manuel Fernandes Tomas, e tem disponíveis os contactos 233 403 380 e bupi@cm-figfoz.pt.

Neste local, os cidadãos podem, de forma gratuita, identificar as parcelas de terrenos rústicos e mistos de que são proprietários, através da representação gráfica georreferenciada.

“A representação gráfica georreferenciada é a identificação de um terreno sobre fotografia aérea, para identificação dos limites da propriedade, sendo mais fácil protegê-la”, disse a Câmara Municipal da Figueira da Foz, acrescentando que no caso de os terrenos estarem já registados na conservatória, a georreferenciação será automaticamente associada ao prédio, sem custos ou impostos associados. Caso contrário, a georreferenciação pode ser feita, igualmente de forma gratuita, através de um técnico do município, no balcão BUPi do Município ou no website www.bupi.gov.pt.

Este serviço, que contará com o apoio de uma equipa multidisciplinar da autarquia, vai possibilitar, “de forma simples e gratuita, o registo de prédios e a consulta, actualização e impressão de informação em vigor sobre uma determinada parcela, através da Internet, em tempo real e a qualquer momento”, disse o Município.

Para o presidente da Câmara Municipal, Carlos Monteiro, “é importante conhecer o território português, os seus limites e proprietários e o cadastro dos prédios rústicos é indispensável para aumentar a eficiência no planeamento e gestão do território, no combate aos incêndios rurais e na criação de valor económico a partir dos recursos naturais”.

De referir que a criação deste novo serviço resulta de uma candidatura apresentada pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC) ao Programa Operacional Regional CENTRO 2020, contando com um investimento global superior a três milhões de euros.