Coimbra  17 de Maio de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Aumento dos combustíveis agrava em seis milhões os custos da Câmara de Coimbra

21 de Março 2022 Jornal Campeão: Aumento dos combustíveis agrava em seis milhões os custos da Câmara de Coimbra

Mais de seis milhões de euros serão os custos a suportar pela Câmara de Coimbra e os Serviços de Transportes Urbanos (SMTUC) com o aumento do preço dos combustíveis, segundo o presidente do Município.

José Manuel Silva, na intervenção inicial da reunião camarária desta segunda-feira, referiu que “o aumento dos custos da energia, uma das graves consequências da guerra na Ucrânia, coloca à Câmara Municipal problemas mais graves que a pandemia covid-19”.

“Numa primeira análise o aumento dos custos para a Câmara e os SMTUC será de cerca de 6 milhões de euros, o que origina uma equação impossível de resolver sem apoio do Governo, um problema que se coloca a todas as Câmaras”, declarou o autarca.

O presidente da Câmara de Coimbra anunciou aguardar a tomada de posse do novo Governo para pedir de imediato uma reunião para discutir um plano de apoio às autarquias, particularmente aquelas que, como Coimbra, asseguram transportes públicos colectivos.

Na intervenção, José Manuel Silva questionou qual a razão de “nos Açores e na Madeira os combustíveis serem “muito mais baratos do que no Continente”, o que, segundo o autarca, “significa que há outros caminhos” e recordando que “a legislação permite o controlo estatal das margens de lucro das gasolineiras, para evitar excessos”.

“A fiscalidade sobre os combustíveis tem de ser revista. Mais de 50% do preço dos combustíveis deve-se a impostos. Os combustíveis têm de deixar de ser olhados pelo Governo como uma galinha dos ovos de ouro para o Orçamento do Estado, pois os elevados preços estão a matar a economia, as autarquias, as instituições e as pessoas” – considera o presidente da Câmara de Coimbra.

José Manuel Silva propõe a criação, o mais rapidamente possível, de “um chamado ‘gasóleo público’, para os transportes públicos, e de um ‘gasóleo social’, para fazer face ao enorme aumento dos custos com combustíveis dos transportes públicos, das IPSS e dos Bombeiros, que também transportam os utentes das suas habitações, instituições e da comunidade”.

Segundo o autarca, “para se continuar a dispor dos SMTUC, melhorar e ampliar o seu serviço, a redução dos preços dos combustíveis é absolutamente vital”. “Este é também o momento de voltarmos a pedir e a instar as pessoas para se deslocarem mais de transportes públicos, com um duplo efeito benéfico, poupando combustível e melhorando o orçamento familiar e aumentado a utilização dos SMTUC, o que os tornará sustentáveis e permitirá melhorar a sua qualidade” – acrescentou.