Coimbra  21 de Maio de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Associação Académica de Coimbra tem agora uma Unidade de Apoio à Vítima

14 de Fevereiro 2024 Jornal Campeão: Associação Académica de Coimbra tem agora uma Unidade de Apoio à Vítima

A Associação Académica de Coimbra (AAC) anunciou a criação de uma Unidade de Apoio à Vítima, que faz parte de uma campanha de sensibilização relativamente à violência doméstica, mais precisamente à violência no namoro. O principal objectivo é a existência de uma rede de apoio fidedigna e qualificada, capaz de encaminhar a vítima mediante a condição concreta.

Neste sentido, a Associação Académica de Coimbra disponibilizará uma rede de marcações de consultas no website da AAC que, imediatamente e mediante o preenchimento, seguirá para o correio electrónico de um profissional de saúde destinado para esse efeito.

Assim, a Direcção-Geral da Associação Académica de Coimbra não terá qualquer acesso a este procedimento, de modo a preservar o sigilo profissional. A vítima será acompanhada, posteriormente, num espaço que garanta o anonimato e segurança da própria vítima.

Ao profissional de saúde encube guiar a situação concreta e, caso se confronte com um caso com característica mais complexas e graves, com um risco iminente de morte, de protecção e segurança àquela determinada pessoa, deverá seguir as condutas previstas no Código Deontológico da Ordem dos Médicos.

Tendo em consideração a aproximação do dia 10 de Março, a Direcção-Geral lança ainda o apelo para que os candidatos às Eleições Legislativas debatam e discutam o desenvolvimento de estratégias que possam eliminar este número absolutamente dramático de vítimas de violência doméstica.

Para Renato Daniel, presidente da AAC, o desenvolvimento deste mecanismo por parte da AAC tem “um duplo objectivo”. Em primeiro lugar “consciencializar a sociedade civil para esta problemática” e, por outro lado, criar “um mecanismo que funcione em proximidade com o estudante, sigiloso e eficiente na resolução e encaminhamento das vítimas”.