Coimbra  13 de Agosto de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Assinado contrato de 10 milhões para requalificar margens do Mondego

13 de Maio 2020 Jornal Campeão: Assinado contrato de 10 milhões para requalificar margens do Mondego

O presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Manuel Machado, assinou hoje o contrato da empreitada de conclusão da requalificação da margem direita do rio Mondego, entre a Ponte de Santa Clara e o Açude-Ponte, no valor de 10 milhões de euros.

O contrato foi assinado com a empresa Alberto Couto Alves, S.A., que venceu o concurso público, e esteve representada no axto pelo presidente do Conselho de Administração, João Barbot.

Esta empreitada é financiada por fundos comunitários do Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR), assegurando o Município de Coimbra a contrapartida nacional (15%).

Este é um importante passo para o avanço de mais uma obra na zona ribeirinha de Coimbra, que prevê a execução dos muros de contenção na margem direita do rio e a requalificação das avenidas Cidade de Aeminium e Emídio Navarro nas faixas confinantes com o rio, incluindo trabalhos de terraplenagem e pavimentação, a reformulação das redes de saneamento, electricidade e iluminação pública e a execução de trabalhos de sinalização rodoviária e de integração paisagística.

O projecto de arquitectura prevê também a definição de zonas de estar mais amplas, destinadas aos peões e de relação com o plano de água, nomeadamente a reformulação das actuais rampas de acesso ao rio; bem como a criação de zonas verdes, com coberto arbóreo.

Este novo concurso público, lançado pela CM Coimbra no passado mês de Novembro, surgiu depois da empresa que venceu o primeiro procedimento concursal não ter cumprido com os prazos contratualmente previstos o que levou a autarquia a rescindir o contrato, tomar posse administrativa da obra e a aplicar sanções.

No passado mês de Março, o concurso ficou concluído e o júri propôs a adjudicação à empresa Alberto Couto Alves, S.A., tendo o Executivo municipal aprovado a proposta. Assim, a intervenção foi adjudicada pelo valor de 9.950.746 euros (IVA incluído), com um prazo de execução de 540 dias, tendo a obra comparticipação europeia de 85%, através do POSEUR, no âmbito do quadro comunitário de apoio Portugal 2020, assegurando o Município de Coimbra a contrapartida nacional (15%). Agora, o contrato assinado segue para o Tribunal de Contas.

Recorde-se que a CM Coimbra tem em curso ou já concluídas várias empreitadas para fomentar a relação da cidade com a zona ribeirinha e para potenciar a valorização do rio Mondego, num investimento global superior a 22 milhões de euros. Desde logo, o desassoreamento do leito do rio (4 milhões); a construção da nova ponte na Praia Fluvial de Palheiros e Zorro (580.000 euros); a nova ponte pedonal e ciclável sobre o Mondego, junto ao Açude-Ponte (647.000 euros); e a nova via de ligação da Fernão de Magalhães à Padre Estevão Cabral (517.000 euros), todas concluídas.

Em curso, ou em fase avançada dos procedimentos, estão a ampliação e requalificação dos edifícios de restauração do Parque Verde do Mondego, popularmente conhecidas como “Docas” (um milhão de euros); a requalificação do Parque Manuel Braga (4,3 milhões de euros); e a ciclovia de Coimbra, que vai ligar Coimbra B ao Vale das Flores e à Portela, num percurso de 18km (2,2 milhões de euros).

No Rebolim foi realizada a limpeza de vegetação, de lixeiras e de outros detritos sobrantes da antiga extracção de areias, melhorados profundamente os acessos, criada uma área de estacionamento, instaladas infraestruturas elétricas, telecomunicações e rede de abastecimento de água, e limpo o amplo areal que em breve estará novamente à disposição da cidade.