Coimbra  5 de Junho de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Arganil devolve cinco por cento do IRS aos munícipes

18 de Maio 2020 Jornal Campeão: Arganil devolve cinco por cento do IRS aos munícipes

Cinco por cento do IRS a que o Município de Arganil teria direito vai ser devolvido aos contribuintes, segundo anunciou, hoje, a Câmara Municipal.

“Arganil é um dos poucos municípios a contrariar a tendência nacional no que diz respeito à devolução do imposto sobre o rendimento das pessoas singulares (IRS) aos seus munícipes”, afirma a autarquia, presidida por Luís Paulo Costa.

A decisão de “praticar o desconto máximo de IRS” neste município do Interior, “ao contrário do que acontece com a grande maioria das 308 autarquias do país, assenta numa consciente política de responsabilidade social e contribui de forma directa e vincada para Arganil se afirmar como um concelho amigo das famílias”, adianta.

“Decidimos devolver aos nossos munícipes a totalidade da verba a que o município teria direito, através do Estado central, na certeza de que estamos a fazer a diferença no dia-a-dia das pessoas, contribuindo para o equilíbrio do orçamento familiar”, refere o autarca Luís Paulo Costa.

A Câmara Municipal realça que “a preocupação de colocar as pessoas no centro das políticas municipais não se esgota na devolução dos cinco por cento de IRS cobrado” no concelho.

“Os benefícios fiscais previstos pela autarquia incluem a implementação da taxa de IMI mais baixa do país (0,3 por cento) e tarifários reduzidos ao nível do abastecimento de água, saneamento de águas residuais e resíduos sólidos urbanos”, sublinha.

O Município sublinha, ainda, que “além figurar no restrito grupo das 24 autarquias do país a prescindir da totalidade do imposto a que teria direito por lei (cinco por cento), surge como caso isolado no distrito de Coimbra, à semelhança do ano passado”.

“A este respeito e com o intuito de minimizar os efeitos da pandemia da covid-19, a factura das famílias do concelho foi reduzida em 50 por cento nos meses de Março e Abril, representando um investimento camarário de 140 000 euros”, recorda ainda.