Coimbra  22 de Maio de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

APPACDM celebra 50 anos com iniciativas que ajudem a mudar consciências

3 de Janeiro 2019

Helena Albuquerque, presidente da APPACDM, e Jorge Castilho, presidente da Mesa da Assembleia Geral da APPACDM

 

A celebração dos 50 anos da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Coimbra vai estender-se ao longo deste ano e contempla iniciativas em vários locais da cidade e subordinadas a temas importantes para a instituição.

A abertura da programação de aniversário vai realizar-se no próximo dia 12 de Janeiro, pelas 17h00, com um debate alargado a várias áreas, no Teatro Académico de Gil Vicente (TAGV). Como protagonistas desta sessão, intitulada “Utopias” vão estar Ana Paula Pais (da Rede de Escolas de Hotelaria e Turismo de Portugal); Carlos Fiolhais (professor da Universidade de Coimbra); Diana Andringa (jornalista); Fernando Seabra Santos (ex-reitor da Universidade de Coimbra); Lurdes Breda (escritora); José Redondo (director da Licor Beirão) e Eduardo Rêgo (locutor da BBC Vida Selvagem). A cerimónia contará com a apresentação de Inês Lopes Gonçalves, do programa da RTP 5 para a Meia-Noite.

Nesta sessão, o objectivo não será falar de deficiência, mas sim de várias utopias relacionadas com cada tema (empreendedorismo, cultura, turismo, ciência, literatura e ecologia). No caso da APPACDM, a sua ‘utopia’ prende-se com a “cidade ideal, com uma sociedade onde o cidadão com deficiência mental tenha condições para atingir a sua plenitude como ser humano e social”.

A APPACDM de Coimbra nasceu a 30 de Junho de 1969 e as comemorações das bodas de ouro servem para “celebrar a existência da instituição e aproveitar para criar ondas de mudança na sociedade, de modo a construir espaços de inclusão e de igualdade para todos e fomentar a quebra de barreiras e preconceitos relativamente aos mais vulneráveis”, explicou Helena Albuquerque, presidente da instituição.

“Acreditamos que é mudando consciências, que encontramos uma melhor aceitação da diferença e proporcionará condições necessárias para a aceitação natural dos direitos das pessoas com deficiência”, adiantou a responsável.

O programa, que na grande maioria das iniciativas terá entradas livres, pretende, por isso, ser abrangente e foca-se nas principais linhas de acção da instituição, como sejam a educação, o emprego ou o apoio às famílias.

No total, e oficialmente, serão 12 os eventos programados, para que as pessoas “sintam que estão a celebrar este meio século de vida connosco”, sublinhou Helena Albuquerque.

Este é, por isso, um marco histórico que irá promover iniciativas como debates, congressos, sessões de cinema, uma gala e um jantar de aniversário, uma caminhada, colóquios, uma campanha de sensibilização e, também, um ‘Dia Aberto’ de todas as instalações da APPACDM à população em geral.

Uma instituição de apoio “desde o nascimento até à morte”

A importância da APPACDM foi sublinhada por Jorge Castilho, presidente da Mesa da Assembleia Geral da instituição, referindo que “o seu papel é fundamental, já que se substitui ao Estado, fazendo um acompanhamento de cidadãos deficientes mentais que de outra forma não teriam o apoio devido”.

A APPACDM de Coimbra presta, actualmente, apoio a cerca de 1 200 utentes, dos três meses até à morte, nos concelhos de Coimbra, Arganil, Montemor-o-Velho e Cantanhede, contando com perto de 300 colaboradores.

Da sua estrutura fazem parte valências como o berçário, creche e jardim-de-infância, pré-escolar, apoio nas escolas (Centro de Recursos para a Inclusão); formação profissional, centros de Actividades Ocupacionais; lares residenciais, serviço de apoio domiciliário e serviço temporário de apoio às famílias.

Da instituição fazem, ainda, parte sete empresas, que ajudam a empregar alguns cidadãos com deficiência (cerca de 50) e sustentar os gastos anuais desta IPSS: a Casa de Chá, Lavagem Auto; Centro de Medicina Física e de Reabilitação; um hotel de Turismo Social – Quinta da Fonte Quente; Jardinagem; recolha de óleos alimentares e a empresa Argus Recycling (em Arganil).

Actualmente, a maior carência da instituição prende-se com a falta de vagas nos três lares residenciais que possui (dois em Coimbra e um na Tocha) e na Residência Autónoma (também na Tocha), onde só conseguem dar resposta a 60 utentes.

Helena Albuquerque afirmou que há situações “urgentes, desesperantes e aflitivas” de utentes que precisam de integrar um lar residencial mas aos quais a instituição não consegue dar resposta. A curto e médio prazo são perto de 160 os cidadãos com deficiência mental profunda do distrito de Coimbra que irão precisar de lar residencial, mas não há capacidade para os acolher. Não tendo resposta, os cidadãos “ficam em casa”, disse.

Em Arganil, onde as respostas a este tipo de situações são ainda mais escassas, a instituição tem já um projecto aprovado para um lar residencial, mas que ainda não avançou por falta do cumprimento de uma promessa feita pelo Governo para abrir uma linha de financiamento.

“Estamos à espera há três anos dessa verba, que tem sido sucessivamente adiada”, explicou, acrescentando que espera que seja este ano, com eleições legislativas, que a tal linha de financiamento seja finalmente aberta.

O projecto, com um custo total de cerca de 700 000 euros, terá capacidade para acolher 30 utentes.

 

PROGRAMA

  1. 12 de Janeiro – “UTOPIAS” – Teatro Académico de Gil Vicente;
  2. 18 de Fevereiro – Dia Aberto da APPACDM de Coimbra;
  3. 14 de Março – Colóquio Cuidadores Formais e Informais | “Cuidadores (In)Formais: proteger quem cuida” – auditório do ISCAC-Coimbra Business School;
  4. 09 de Abril – Congresso de Arquitectura “Cidade como Meio de Inclusão” – Convento de São Francisco – Sala Conventual;
  5. 16 de Maio – “Gala APPACDM de Coimbra | Apollo 11 – quebrar barreiras e preconceitos” – Teatro Académico de Gil Vicente;
  6. 30 de Junho – Caminhada “Caminhar a Par” – pelas ruas da cidade;
  7. 15 de Julho – Mesa Redonda “Incluir pelo trabalho: que desafios?” – auditório da CCDRC;
  8. Agosto – Ciclo de Cinema “Filmes da Nossa Vida” (dois filmes por semana nos últimos 15 dias) – Casa de Chá;
  9. Setembro – Jogo de Futebol APPACDM de Coimbra vs AAC/OAF (data por anunciar) – Estádio EFAPEL;
  10. 18 de Outubro – Congresso “Qualidade de vida da Pessoa com Deficiência” – auditório do Conservatório de Música;
  11. 09 de Novembro – Jantar Comemorativo dos 50 Anos Quinta das Lágrimas;
  12. 03 de Dezembro – Campanha “Conhecer para Incluir”| Entrega de um ‘flyer’ explicativo do que é a deficiência intelectual nas escolas dos quatro concelhos apoiados pela APPACDM de Coimbra